26 de junho de 2017

A Veneza do norte: Bruges | Bélgica

Praça do mercado - Bruges

Bruges (em neerlandês: Brugge; em francês: Brugee, em alemão: Brügge)  é uma cidade belga, capital da província de Flandres Ocidental, na região de Flandres.Tem cerca de 117 mil habitantes (2013). Foi a capital europeia da cultura em 2002, juntamente com a cidade espanhola de Salamanca.


Bruges é chamada de "Veneza do Norte", por causa de seus inúmeros canais que a cercam ou a atravessam, mas também a ligam principalmente com a cidade de Gante.

Diversos passeios de barco são propostos aos turistas, alguns dos quais permitindo chegar às cidades vizinhas. A cidade apresenta ainda as ruínas de uma fortaleza, bem como moinhos às margens dos canais.

É uma cidade de conto de fadas! Parece que nem existe! O centro histórico foi tombado pelo Patrimônio da Humanidade da Unesco em 2002. 

            Canais de Bruges - perfeito para os passeios de barco | Crédito da foto: Viajar pelo mundo

São praticamente inexistentes traços de civilização e atividade humana anteriores à era pré-romanagaulesa na região de Bruges. As primeiras fortificações foram construídas após a conquista do Menappi por Júlio Cesar no século I a.C., com intuito de proteção da zona costeira contra piratas. Já no século IV, a região foi tomada aos romanos pelos Francos e as incursões dos Vikings, por volta do século IX, obrigaram a que Balduíno I da Flandres reforçasse as antigas fortificações. Foi também nesta época que se fortaleceram as relações comerciais com a Inglaterra e a Escandinávia e surgiram as primeiras moedas gravadas com o nome Bryggia (significa "porto" em neerlandês remoto).

Foi a 27 de julho de 1128 que Bruges foi elevada a cidade e construiu novas muralhas e canais. Desde cerca de 1050, um gradual avanço do lodo em direção da cidade, provocou a obstrução dos acessos diretos com o mar, mas uma violenta tempestade em 1134 restabeleceu-os através da criação de um canal natural (Zwin).

Com o raiar do século XII, Bruges foi incluída no circuito comercial flamengo, sobretudo devido à sua emergente indústria de lã e tecidos. Os principais mercadores da cidade apostaram no desenvolvimento de "colónias económicas" em Inglaterra e na Escócia e os seus contactos trouxeram grão da Normandia e vinhos da Gasconha para a região. Os navios hanseáticos atracavam diariamente no porto que, face a este crescimento e sobrecarga, teve de ser expandido de Damme até Sluys para acomodar os novos cog-ships.

Em 1277, o primeiro barco mercante partiu de Génova e atracou no porto de Bruges, o primeiro da rota mercantil que tornou Bruges a principal conexão com o comércio do mar Mediterrâneo. Para isso concorreu a vitória da marinha genovesa sobre a frota muçulmana que guardava o estreito de Gibraltar, liberando essa poderosa rota de comércio ocidental, possibilitando viagens regulares entre Bruges e Gênova, em grandes navios redondos. As empresas italianas para terem grande sucesso montaram sucursais em Bruges que geravam volumes de negócios na mesma dimensão de suas matrizes no norte da Itália a exemplo da sucursal de Banco Médicis em Bruges que ganhou mais dinheiro que sua sede em Florença.

Este desenvolvimento permitiu não só a abertura para a rota das especiarias de Levante, mas também a introdução de avançadas técnicas comerciais e financeiras e um fluxo de capital que rapidamente tomou conta das transações bancárias da cidade. A bolsa de valores abriu em 1309 e desenvolveu-se no mais sofisticado mercado financeiro dos Países Baixos no século XIV. Quando as primeiras galés venezianas surgiram, em 1314, já vinham atrasadas. Na primeira bolsa de valores do mundo não se vendiam ações de empresas; o que se vendiam eram importantes documentos comerciais como letras de câmbio e hipotecas, papéis que eram a base do capitalismo medieval.

No século XV, Filipe O Bom, duque da Borgonha assentou corte em Bruges (bem como em Bruxelas e em Lille) atraindo muitos artistas, banqueiros e outras personalidades proeminentes de toda a Europa.

A primeira impressão de um livro em inglês foi publicada em Bruges por William Caxton. Foi igualmente uma época em que Eduardo IV e Ricardo III de Inglaterra passaram o seu exílio na cidade flamenga.

No início de 1500, o canal Zwin, que fora responsável pela prosperidade da cidade, começou também ele a ficar obstruído por lodo. Bruges foi rapidamente ultrapassada por Antuérpia como o centro económico dos Países-Baixos. Durante a década de 1650, a cidade foi a base para a estadia de Carlos II de Inglaterra e a sua corte no seu exílio. A infraestrutura marítima foi modernizada e foram construídas novas ligações ao mar, mas sem um grande sucesso.

Na segunda metade do século XIX, Bruges tornou-se num dos primeiros destinos turísticos, atraindo turistas britânicos e franceses. O porto de Zeebrugge foi construído em 1907 e utilizado pelas tropas alemãs no decorrer da Primeira Guerra Mundial para atracar os seus submarinos. Nas décadas de 1970 e 1980, foi alargado e tornou-se um dos mais importantes e modernos portos da Europa. O turismo internacional cresceu exponencialmente desde então e todos estes esforços resultaram na designação de Bruges com Capital Europeia da cultura em 2002.

Bruges chegou a ser uma das principais economias da Europa, entre os séculos XII e XV. A cidade era repleta de comerciantes vindos dos quatro cantos do mundo. Até que o rio, que ligava a cidade ao mar, foi assoreado e os navios ficaram sem acesso. Nisso, a cidade viveu um período como "A Bela Adormecida". E só acordou depois de 400 anos pronta para brilhar mais do que nunca e receber uma leva de turistas (que chega a ser assustadora). 

          Você pode fazer um passeio de charrete!! Um charme só!! Crédito da foto: Viajar pelo mundo

A cidade

A praça central, conhecida como Markt, é o coração e é super preservado o traçado original. Presenciou muitas cenas históricas, como guerras e festas populares. De um lado está o Palácio Provincial e o antigo correio, os lindos prédios neogóticos! 

       Prédio dos correios à direita e o Palácio Provincial ao centro. Crédito da foto: Viajar pelo mundo


Em frente ao predio dos correios e Palácio Provincial, tem vários pequenos prédios coloridos que parecem aqueles brinquedos, lembra? Ali, você encontra restaurantes e cafés! 

                       A estátua de Jan Breidel e Piet de Konink foi feita em 1887, em bronze e pedra         para enaltecer os heróis da revolução de 1302 numa batalha contra o rei da França na qual  os belgas triunfaram. Crédito da foto: Viajar pelo mundo

Um ponto de referência que sempre usava para chegar no meu hotel era o Campanário. Dava para subir (366 degraus para chegar ao topo), mas faltou coragem! 


O Campanário de Bruges foi feito em etapas. Inicialmente, no século XIV foram construídos o campanário e o corpo do prédio, como um complexo formado por duas partes. Alguns anos depois, um terceiro pavimento, de 80 metros, foi feito em pedras para ser usado como observatório para evitar que algum incêndio destruísse a cidade, coisa comum naquela época. 



Seguindo em frente, se chega a Burg, que é uma outra praça com lindos prédios. Esse com as janelinhas vermelhas é a prefeitura - Stadhuis. 

                                                          Crédito da foto: Viajar pelo mundo

A prefeitura foi construida entre 1376 e 1420. O prédio ao lado a esquerda da prefeitura é a velha casa dos arquivistas. 

Nessa praça, também há um santuário (Heilig Bloedbasiliek) onde tem uma relíquia, o Sangue de Cristo. Como saímos de Bruges para ir a Ghent e chegamos tarde, não conseguimos ir. As fotos abaixo são da Cláudia (Viajar pelo mundo), para vocês verem como é a igreja! Só para direcionar mais, o hotel onde estava era no mesmo sentido onde estão indo as carruagens! Super bem localizado!





A rua Breidelstraat é a rua que liga as duas praças (Burg e Markt) e é o paraíso! É onde tem lojinhas e um dos principais produtos da Bélgica: o chocolate. 

                                                                         Crédito da foto: Viajar pelo mundo.

Você pode comprar qualquer marca de chocolate que todas são ótimas! Da outra vez que comprei, não comprei somente Godiva que é uma das principais (tem também a Neuhaus), pois estava quase no fim da viagem. Ano passado estava no início da viagem, acabei comprando pouco só para o consumo durante a viagem! Pena que foi pouco!! 

O que você não pode deixar de fazer:
- Ir ao Campanário
- Ir a Burg
- Ir a Market
- Comer e comprar chocolate
- Comer muito Waffle
- Comer muita batata frita
- Tomar cerveja
- Passeio de barco pelos canais
- Passar pela prefeitura
- Ir a Igreja do sangue sagrado. 













Essa cervejaria fica na Waplein, 26

Caminhe sem rumo! Assim você conhece mais a cidade e seus cantos e encantos! 



O lago do amor!! Não lembro da história, vou ter que perguntar a minha prima que estava comigo na viagem! 



A melhor batata de Bruges fica na Markt, é essa barraquinha verde próximo ao campanário!! 


Mais dicas outras delicias ou tomar um café é na praça Markt! 

Idioma oficial: flamenco (derivação do holandês), mas entendem o inglês

Moeda: Euro

Documentos necessários: Brasileiros não necessitam de visto, apenas passaporte com 06 meses de validade. 

Fuso horário: 4 horas a mais em relação a Brasilia

Clima: costuma ser bem frio nos meses de novembro a março. Entre junho e agosto é bem quente, pois é o período do verão.
Distâncias de trem
- Bruges - Bruxelas: menos de uma hora
- Bruges - Gent: 20 minutos
- Bruges - Antuérpia: 30 minutos







O Ricardo Freira falou aqui como chegar em Bruges! 

Crédito das fotos: autorizado por Viagem pelo mundo (onde citado), arquivo pessoa. Proibido reprodução sem autorização por escrito. 


O conteúdo deste post foi decidido por Vivian Dornelles, autora do Blog dicas de Viagem, tendo como critério a relevância do assunto para os leitores do blog, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebi qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto.








  1. Eu adoeci no dia de ir pra Bruges e não deu pra conhecer, uma pena... mas pelo menos tenho desculpa pra visitar a Bélgica de novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Nao faltara opurtunidades! Que voce volte logo a Belgica para conhecer essa linda cidade! Bjo!

      Excluir

Start typing and press Enter to search