11 de dezembro de 2009

Viajando com crianças

Andei lendo sobre o assunto para quem vai viajar com crianças, ainda mais agora em época de férias. Do que andei lendo, as dicas mais legais e mais interessantes foram do blog da Mari Campos.

Ai vão as dicas, espero que gostem como eu.

Viajar com crianças não é uma tarefa fácil. Mas certamente é muito prazeiroso e viajar é preciso; filhos não são desculpa para cancelar passeios em família. A única questão é que exige muito mais planejamento que uma viagem somente de adultos, então é preciso ficar atento para os pontos mais importantes.
Quem vai de carro, precisa de estratégias, jogos e brincadeiras para entreter os pequenos. Nas viagens muito longas de avião, mesmo que a criança durma bem, é preciso pensar também em entretenimento e na questão da alimentação – até pra evitar que ela fique chorando e cause constrangimento com os outros passageiros. A arrumação das malas também é parte trabalhosa e complexa; para alguns pais, é imprescindível fazer uma listinha antes de passar o cadeado. O ideal é sempre separar uma bolsa ou mochila só para a criança, mesmo que seja ainda bebê. O kit básico de fraldas, lencinhos humedecidos, remedinhos e chupeta também tem que estar sempre fácil.
Levar brinquedinhos ou jogos da criança também ajuda nos momentos de monotonia ou insatisfação: um bichinho de pelúcia, ou um livrinho para pintar, ou até um gibi para os maiorzinhos. Para quem viaja de carro, vale jogar com as letras do alfabeto, apontar ou contar objetos que vê pela estrada, adivinhar a cor do carro que vai passar ao lado e outras coisas do gênero, para mantê-las entretidas.
A escolha do destino e elaboração do roteiro também merecem todo o cuidado: crianças odeiam fazer compras e passeios noturnos. E se cansam com facilidade das caminhadas, mesmo dentro de parques cheios de atrações, como na Disney. Adoram museus interativos e de História Natural, mas não vão curtir espetáculos da Disney na Broadway se ainda não falarem inglês.
Para os bebês, leve sempre carrinhos leves e fáceis de desmontar. Os baby-bags europeus (para carregá-los nas costas ou na barriga) também são muito eficientes em passeios que incluem grandes caminhadas – e deixam as mãos dos pais livres. O hotel certo para quem viaja com crianças deve ter piscina e outras áreas de lazer, para preparar o espírito e o ânimo da criança para os outros passeios pelo destino. Peça sempre berços e camas extras já no ato da reserva, para evitar transtornos na hora da chegada.
Crianças também precisam de visto e passaporte, com procedimentos iguaizinhos aos dos adultos, mas validade menor. Cheque sempre toda a documentação antes de embarcar. Em vôos nacionais e internacionais, menores desacompanhados precisam de autorização dos pais ou responsáveis. Pode ser de próprio punho, mas com firma reconhecida em cartório. Bebês com menos de sete dias não podem viajar. Fazer seguro de viagem também é absolutamente imprescindível. Confira também a carteira de vacinação e a necessidade de tomar vacinas específicas.
Enquanto estiver planejando a viagem, deixe a criança (mesmo pequenininha) participar desta fase: mostre mapas e fotos dos lugares que serão visitados, exiba páginas de sites sobre o destino e fale sobre como será o passeio, para que ela também crie suas próprias expectativas. Se for viajar para algum destino exótico, prepare um prato típico do país para que a criança conheça o paladar do local e tenha mais interesse. Se o destino tiver outra língua, coloque para ela ouvir músicas no outro idioma, para que se acostume.

Gestantes viajantes
As companhias aéreas aceitam gestantes até 36 semanas de gravidez, mas vale lembrar que o comandante e até o pessoal do balcão têm autoridade para vetar o embarque se não julgarem adequado. Para melhorar sua estadia no vôo, procure não passar muito tempo sentada, caminhe regularmente nos corredores e, por mais incômodo que pareça, utilize meias de compressão para diminuir o impacto na circulação. Como a desidratação, muito comum nas gestantes, costuma ser agravada pelo ar condicionado do avião, beba sempre muita água. Peça também que seu médico receite um antiemético específico para você evitar os enjôos. Na hora da comida, tenha mais atenção ao que leva à boca, já que esse é um período especial. Evite comer em barracas de rua e locais onde não se possa averiguar a procedência dos alimentos, além de deixar de lado os alimentos crus, a cafeína e os condimentos em excesso. Tente manter a dieta normal do seu dia-a-dia e resista à tentação de experimentar as novidades do destino visitado. Mesmo em navios, onde a comida é muito farta e tentadora, procure resistir aos excessos e pratique atividades físicas, como caminhada, para compensá-los. Mas evite caminhadas longas ou muito tempo em pé sem se mexer, como numa fila, por exemplo. Na bagagem, além de roupas e sapatos muito confortáveis e meias extras, tenha fácil um kit emergencial com remédios receitados especialmente pelo seu médico, comidinhas (barrinhas de cereal ou frutas, por exemplo) para as quedas glicêmicas e – importantíssimo – todos os telefones de seu médico caso precise encontrá-lo numa emergência.

Antes de partir
Ao planejar o seu roteiro, no caso de crianças muito pequenas, vale evitar locais com temperaturas muito baixas, a fim de evitar problemas como gripes e resfriados mais sérios, que podem arruinar o passeio.
Para famílias, os pacotes geralmente compensam; além de hotel e transporte, costumam incluir também alguns passeios. Em viagens aéreas, crianças de até dois anos pagam 10% da tarifa cheia e até os 12 costumam ter 50% de desconto. No ato da reserva, informe a idade da criança e já faça a solicitação de berços ou assentos especiais. Muitos hotéis aceitam até duas crianças de até 10 anos no apartamento dos pais sem cobrar nada a mais por isso. Crianças costumam também entrar de graça na maioria dos museus e atrações similares, além de terem desconto em passagens de trem no exterior.
Antes de sair para viajar com crianças e bebês, não deixe de checar os seguintes itens:
-verifique a infra-estrutura do local onde irá ficar, para saber se há farmácias e supermercados por perto. Evite colocar de tudo na mala, porque excesso de peso e crianças na mesma viagem não combinam.
-faça seguro de viagem para todos na família, já que o atendimento médico-hospitalar no exterior custa muito caro. O valor do seguro será uma das menores despesas de sua viagem.
-leve a criança ao dentista, atendimento que não costuma figurar nos planos de saúde de viagem
-confira a carteirinha de vacinação da criança para saber se está tudo em dia e prevenir incidentes, já que alguns países exigem vacinas específicas, inclusive para bebês

Durante a viagem
Quando já estiver em viagem, evite exagerar no itinerário da viagem, transformando-a numa verdadeira maratona; as crianças não possuem o mesmo pique para passeio que os adultos. É preciso incluir no meio da programação atividades de lazer e descanso para a família inteira.

No avião:
-deixe à mão o seu kit básico, com fraldas, mamadeira ou joguinhos para os maiores
-leve alimentação própria para os bebês, como mamadeira de leite e suco e papinhas, que não costumam ser oferecidos pelas companhias aéreas. Mesmo quando são oferecidos, podem não ser da mesma marca e o bebê pode não se adaptar a elas.
-leve um brinquedinho predileto para entretê-la. O choro de um bebê durante o vôo irrita sobremaneira os outros passageiros, e todos têm direito a uma viagem tranqüila, não? As crianças não costumam ter sono tranqüilo nos vôos mais longos, necessitando entretenimento na maior parte do tempo. Esteja preparado.

No carro:
-criança vai sempre no banco de trás, indiscutivelmente. Crianças de até 4 anos devem ir no cadeirão, como prega a lei.
-faça paradas ao longo da viagem, aproveitando para dar água e levar as crianças ao banheiro em cada uma delas; trechos muito grandes irritam as crianças menores.
-peça ao pediatra que receite remédio contra enjôos para os pequenos e durante subidas e descidas de serra dê a mamadeira ou algo de comer para o bebê, evitando o desconforto da pressão nos ouvidos.

No restaurante:
-não fique em longas filas de espera por uma mesa; evite os horários de pico para não ter que ficar esperando ser atendido ou faça reservas antecipadamente
-alimente os bebês antes de sair para almoçar ou jantar, de modo que você possa fazer sua própria refeição de maneira mais tranqüila
-muitos locais oferecem menus específicos para crianças, que costumam vir acompanhados de elementos lúdicos (lápis e papel, por exemplo) para entrete-las enquanto a comida não vem e custam cerca de 50% do prato de um adulto.
-para os menorzinhos, leve sempre o carrinho ou cadeirinha portátil para acomodá-la, inclusive para um cochilo enquanto os pais fazem sua refeição

Dinheiro
Cada criança viajando com os pais representa em média um acréscimo de 30% no orçamento da viagem - claro que os custos variam muito em função dos hotéis, restaurantes e meio de transporte escolhidos. Para quem viaja de carro, o consumo de combustível é maior, já que crianças pressupõem mais bagagem e equipamentos extras, deixando o carro mais pesado.
Adultos também podem resolver “pular” uma refeição no meio do passeio, mas crianças necessitam de alimentação constante e regular, além de exigirem uma “farmacinha” de viagem mais onerosa, por estarem mais sujeitas a adoecer em variações climáticas ou gastronomias diferentes.

Com crianças maiorzinhas, estabeleça desde antes do embarque qual será o limite individual para compras e gastos, e respeite-os, sem abrir exceções: isso educará a criança para a política econômica das próximas viagens. Deixe claras também as regras para consumo do frigobar do hotel. Em caso de diferença da moeda, explique o quanto vale a moeda e procure sempre fazer a criança entender o preço das mercadorias em reais.
  1. Estou pensando em viajar de NY para Niagara de carro (400 milhas) com tres crianças (entre 6 e 9 anos). Niagara é legal para crianças? E o caminho?

    ResponderExcluir
  2. Eu não conheço Niagara! Só fui a NY e até Washington! Meus pais foram e gostaram bastante de Niagara, mas tambem não fizeram este caminho! Tem este site: http://viajandocompimpolhos.wordpress.com/
    Eles falam sobre viagem com os pequenos!
    Qualquer coisa escreve e tento ajudar!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia!
    Estou com uma duvida e talvez voce possa me ajudar. Eu moro em Bruxelas e minha irma vem com o marido e a fila de 7 anos me visitar e aproveitar as ferias na europa. Minha sobrinha fica comigo e eles vao fazer um tour. Eles voltam ao Brasil de Roma e eu vou levar minha sobrinha la. Minha duvida é com respeito à autorizaçao com menor. Pra viajar no espaço Schengen vamo precisar de uma autorizaçao?

    ResponderExcluir
  4. Na Europa, você não precisa de autorização para viajar com menores. Essa autorização é para sair do Brasil! Na rota contrária, a autorização não é necessária.
    Bjs,
    Sut-Mie
    @viagempimpolhos

    ResponderExcluir
  5. vou viajar para salvador e preciso levar minha sobrinha de 10 nos o que tenho que providenciar para levá-la comigo? A quem devo procurar
    meu e-mail é marli-p53@live.com, me ajudem por favor

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Start typing and press Enter to search