9 de jan de 2010

Viagens de Luxo

Depois de ter seguido a idéia da Mari e escrever sobre o Navio Marina e depois de ler em um livro sobre a opinião do autor em viajar em primeira classe e classe executiva, resolvi escrever sobre minha opinião sobre viagem de luxo.

Muita gente não entende o mercado de luxo. E sim, ele continua crescendo. Se você não pode viajar de primeira classe ou classe executiva, há quem possa. Por que você acha que elas continuam lá? Por que você acha que continuam produzindo Ferrari e outros carros de luxo? Não, não é só para bonito, há quem compre.

Acho que isso é um pouco (em alguns casos muito) inveja. Se alguém que conheço diz que foi ou está indo de primeira classe ou executiva, acho maravilho.. No livro que comentei que li sobre a classes (primeira e executiva), o autor dizia algo assim: "muitos dos lugares são executivos ou quem faz upgrade". Bom, para mim não faz diferença alguma, você pagando, sua empresa ou milhas. Nenhuma das duas situações você viaja totalmente de graça. Para um executivo ele tem que batalhar muito (e ninguém lembra disso e nem leva isso em conta, só que ele está no "bem bom"), se está de upgrate ele tem que ter muiiittass milhas (tente conseguir 40.000 milhas para viajar do Brasil para os Estados Unidos em classe econômica - na Tam, e me diga se é fácil), e se está pagando, que ótimo! Isto significa que o dinheiro foi suado e a pessoa trabalhou um bocado para tal. Não concordo em levar digamos pouco dinheiro para o destino só porque comprou a passagem em classe executiva ou primeira. Dai vá de econômica mesmo. A Juliana Sardinha tem um blog sobre dicas do blogger, mas ela citou uma frase em um de seus posts (não sobre este assunto é claro, mas se encaixa perfeitamente no que quero comentar, já que além do blogger é psquiatra - Jú não desiste!!) que é algo assim: "Vá chorar na cama que é lugar quente. Criticar, ficar de #mimimi é feio, deselegante e um sinal de imaturidade psíquica – deixa claro sua #invejinha, a incapacidade de fazer melhor e a necessidade patológica de chamar atenção. Desafetos nada mais são do que objetos de um amor reprimido." Acho que não preciso comentar muito mais sobre isto né? Se enquadra perfeitamente no que quero dizer.

Entenda que tem mercado para todos. Então não fique nessa: o que? pagar U$S 10.000,00 só por deitar mais? SIM, e daí? Acha um absurdo? Guarde o comentário para você, não seja deselegante! Ou coloque sua opinião de uma forma mais sutil. Se você não pode, acha um absurdo o preço não vá nestas classes, por isso tem classe econômica, nos hotéis há quartos "padrão", há carros populares e assim por diante. E nestas classes, não é só deitar a mais, é TUDO a mais. Um atendimento bem melhor, preferência de check in, preferência de embarque, bebidas liberadas, salas vips e outros. Se você tem o complexo de inferioridade, imaturidade ou outros transtornos procure um psquiatra (talvez a Ju te ajude!), mas saia desse mundinho (que absurdo, será que alguém paga por isso?).

Uma vez ouvi uma frase que achei o máximo: "as pessoas só veem o resultado final (você viajando de classe executiva, primeira, ficando na suíte Coco Chanel em Paris..) mas esquecem do que você batalho para chegar lá".

Outra coisa são as grifes. Um amigo mala do meu pai, certa vez me perguntou se eu compraria uma bolsa Louis Vuitton (já que comentei que o hotel que fiquei em Barcelona tinha uma loja das bolsas na frente), respondi a ele que claro, mas desde que tivesse dinheiro sufiente para tal e prosseguir na viagem, não para apenas dizer que tenho uma bolsa da determinada marca. E grife é grife, onde você esteja (se falando de Europa, tudo bem que no Brasil uma calça da Disel chega a mais de R$ 1000,00 - enquanto na Europa você encontra por muito, muito menos), mas não pague o mico de querer pagar metade do valor de uma bolsa Hèrmes ou Louis Vuitton.

Então compre o que você pode e o que você acha justo e pare com a "invejinha" em relação ao próximo. Você não tem nada a ver com o quanto ele pagou na viagem, se ele roubou o dinheiro, enfim o modo que comprou a passagem (não entra no meritro os políticos brasileiros, ok?). Contenha-se.

O dicionário aurélio define inveja como: Sentimento de cobiça à vista da felicidade, da superioridade de outrem: ter inveja de alguém.

Acorda para o mundo!

"O luxo é o supérfluo que você tanto necessita" (Coco Chanel)


P.s: O site da Juliana, é o Dicas Blogger o trecho que me referi acima é do texto "A deselegâcia, a imaturidade e os trolls", clique aqui para ler.