20 de dezembro de 2009

New York - parte 3

Onde dormir

60 Thompson (60 Thompson Street, 212/431-0400. Diárias desde US$ 539, sem café-da-manhã. Cc: todos) Hotel-butique lindamente decorado por Thomas O'Brien (e seu escritório do Soho), é um sucesso entre fashionistas. O staff é amigável e os quartos são modernos mas podem não ser grandes (peça os que têm banheira). Travesseiros aveludados, lençóis da marca italiana Frette e produtos de banheiro da Fresh são o hit. O restaurante do lobby, o ótimo Kittichai, celebra a culinária tailandesa. Nos meses quentes, nada mais "trendy" que o bar da cobertura, de tema marroquino, aberto apenas a hóspedes e convidados.

Best Western Seaport Inn (33 Peck Slip. tel.: 800.486.3569. Diárias de US$ 299 a US$ 499, sem café-da-manhã. Cc: todos) Nos quartos, nada diferente do que se possa esperar de um típico e econômico Best Western: são completos e sem personalidade. Alguns têm terraço com vista para a Brooklyn Bridge. O prédio de sete andares segue o estilo Federal, dos tempos pós-independência dos EUA -um charme histórico. O serviço é sensato e biscoitos são servidos na recepção.

Greenwich Hotel (377 Greenwich Street, tel.: 212/941-8900. Diárias desde US$ 629, sem café-da-manhã. Cc: todos) O novíssimo hotel de Robert de Niro em Tribeca ocupa um prédio histórico de esquina, renovado sob o comando do arquiteto David Rockwell. A pegada é parecer-se a uma casa: não há placa na porta, o lobby tem móveis descombinados, como se comprados aos poucos, e os 88 quartos são diferentes (piso de carvalho, banheiras, camas ultrafofas e minibiblioteca são comuns a todos). Pode-se fazer o check-in no quarto, receber os jornais do seu país pela manhã e consumir sem custo bebidas não-alcoólicas e bombons do frigobar. A internet wi-fi é grátis.

Hotel on Rivington (107 Rivington Street, tel.; 212/475-2600. Diárias de US$ 295 a US$ 525 e de US$ 395 a US$ 600 - AT. Cc: todos) Paredes inteiras de vidro e janelões do chão ao teto são a marca deste hotel-design. Os 110 quartos minimalistas viram camarotes sobre Lower East Side nos andares mais baixos, vista para paredes grafitadas, nos mais altos, para o East River. Os banheiros são de pastilhas, os colchões, ortopédicos suecos, e a decoração, de India Mahdavi. Espere ainda TVs de plasma, ofurôs, velas e óleos de massagem.

Howard Johnson Express Inn (135 Houston Street próximo à Forsyth Street, tel.:212/358-8844. Diárias de US$ 199 a US$ 329. Cc: todos) Para economizar (segundo padrões nova-iorquinos), dar de ombros ao glamour ou aos detalhes, mas valorizar a localização "hype" na divisa de Lower East Side com East Vilage. Os quartos completos têm aquela simplicidade padrão dos hotéis econômicos de cadeia. A internet é grátis.

Millenium Hilton (55 Church Street, tel.: 212/693-2001. Diárias desde US$ 229. Cc: todos) Dos vários Hiltons da cidade, seu perfil é o mais adequado à localização: absolutamente business. Depois de uma reforma de mais de US$ 30 milhões, em 2003, seus quase 600 quartos (o prédio tem 55 andares) ficaram mais modernos com TV de plasma e rádio-relógio que toca MP3. Reserve um dos contemplados por belos panoramas da Estátua da Liberdade (já que a vista para o Ground Zero não é tão edificante). De noite, os arredores carecem de vida tome um táxi para badalar.

The Mercer (147 Mercer Street com a Prince Street, tel.: 212/966-6060. Diárias desde US$ 419. Cc: todos) Atente aos paparazzi. Russell Crowe, Leonardo DiCaprio, Marc Jacobs, as celebridades não saem do Mercer, o primeiro hotel-butique de luxo do Soho, inaugurado há dez anos. É bom caprichar na produção antes de sair de um de seus 75 quartos espaçosos com móveis assinados por Christian Liagre, pé-direito alto, muito couro e madeira. Se der vontade de sair: a banheira pra casal, os DVDs com TV de plasma, as amenities da marca sueca Face e o frigobar com itens do Dean & Deluca podem viciar. Mercer Kitchen, o restaurante, é do superchef Jean-Georges.

Ritz-Carlton Battery Park (2 West Street Battery Park/Financial District, tel.: 212/344-0800. Diárias de US$ 625 a US$ 7 500. Cc: todos) Sua desvantagem ficar no extremo sul de Manhattan, no fim da linha, à beira do Rio Hudson pode ser uma vantagem: navios à vista, o som das gaivotas e uma tranqüilidade rara na ilha para o hóspede. Os quase 300 quartos espaçosos, em verde e dourado, têm amenities Bulgari, lençóis Frette, quadros abstratos de artistas locais e toques art-déco. Os que dão para o porto vêm com um telescópio na janela. Para relaxar mais, aproveite o spa que usa produtos Prada e tome um martíni com vista para as ilhas Ellis e Liberty no Rise Bar, no 14º andar.

Tribeca Grand (2 6th Avenue, tel.: 212/519-6600. Diárias de US$ 349 a US$ 359 e de US$ 500 a US$ 600 (AT). Cc: todos) DJs internacionais comandam as pick-ups no bar e restaurante do lobby com o irônico nome de Church Lounge. Vários quartos dão pra esse burburinho, cheio de não-hóspedes que vêm só para badalar. Os banheiros são estilosos e têm TV e som. Há uma sala de cinema no subsolo, que recebe sessões privê ? Michael Moore estreou seu Fahrenheit 9/11 ali, para famílias das vítimas do ataque terrorista. Não é de estranhar que o Tribeca Grand esteja cheio de rock stars e atores de Hollywood a identificação é imediata.

Abingdon Guest House (21 8th Avenue, tel.: 212/243-5384. Diárias de US$ 179 a US$ 305. Cc: todos) Vende-se como um bed & breakfast, mas não serve o breakfast. Para compensar, ao contrário de outros B&B, oferece serviço de quarto diário e telefonemas locais grátis. Cada quarto tem uma cara: o Landau é todo delicado; o Martinique tem cama com dossel etc.

Bowery Hotel (335 Bowery, tel.: 212/5059100. Diárias desde US$ 425, sem café-da-manhã. Cc: todos) O primeiro cinco-estrelas desse canto sul do Village, o Bowery, inaugurado em 2007, tem dado o que falar. O lobby é palaciano, com tapetes persas e lareira de pedra. Nos 135 quartos, não tão grandes, mas elegantes, janelões do piso ao teto dão vista para o East Village, e há TVs de tela plana e conexão wi-fi gratuita. Alguns têm jacuzzi no terraço. Do lado de fora, o corredor da Bowery Street vem ganhando status e sedia um novo museu (o New Museum). Basta atravessar a rua para se chegar ao charmoso "bairro" Nolita.

East Village Bed & Coffee (110 Avenue C, tel.: 212/533-4175. Diárias desde US$ 105) A grana está curta? Tente este hotelzinho com jeito de casa da vovó. É supercharmoso, num pedaço residencial e dos mesmos donos do Second Home. Tem jardim, pé-direito altíssimo e tijolinho aparente nas áreas comuns. Mas não se engane: o coffee do nome não é café-da-manhã e sim uma xícara de café. E ponto. Todos os andares têm cozinhas equipadas e internet wi-fi de graça. Só que os dez quartos têm banheiros compartilhados (um por andar).

Jazz on the Town (307 E 14th Street, tel.: 212/228-2780. Diárias desde US$ 32 e US$ 36 - AT. Cc: todos) Albergue perto do agito do East Village. Tem confortos raros para esse tipo de acomodação, como ar-condicionado em todos os quartos e banheiros privativos. No terraço rolam festinhas no verão e exposições de arte.

Second Home on Second Avenue (221 2nd Avenue, tel.: 212/677-3161. Diárias de US$ 190 a US$ 220, sem café. Cc: A, M, V) Suas acomodações são simples, mas decoradas e iluminadas com bom gosto. É clean, confortável e cheio de objetos peruanos, país de origem de seu dono, Carlos Delfin. Ele também manteve os preços em uma faixa razoável, considerando-se a localização na ilha. Além da suíte com sala de estar, possui outros seis quartos bacanas.

Washington Square Hotel (103 Waverly Place, tel.: 212/777-9515. Diárias de US$ 215 a US$ 350 e de US$ 235 a US$ 350 (AT). Cc: A, M, V) A fachada e o saguão superestilosos - de inspiração parisiense - e seus quartos renovados já são atrativos valorosos. Mas o hotel também tem história. Um dos casais símbolo da contracultura americana dos anos 60, Bob Dylan e Joan Baez, morou lá, e trombavam pelos corredores com outros artistas modernos.

Chelsea International Hostel (251 W 20th Street, tel.: 212/647-0010. Diárias de US$ 32 - dormitório sem banheiro, US$ 36 - com banheiro - e US$ 80 - quarto duplo sem banheiro, sem café-da-manhã. Cc: todos) Em frente a uma delegacia, é um oásis econômico numa região com poucas opções de hospedagem. Tudo muito simples (quase lembra um alojamento militar, com 350 camas), mas limpo. O albergue dá pizza de graça às quartas-feiras e fica do lado da vida noturna agitada do Meatpacking District.

Chelsea Star Hotel (300 W 30th Street com 8th Avenue, tel.: 212/244-7827. Diárias de US$ 30 a US$ 35 (dormitórios) e de US$ 109 a 259 (quartos), sem café-da-manhã. Cc: A, M, V) Madonna morou num dos quartos do Star entre 1980 e 1981 quando mudou-se pra Nova York. Hoje, há quartos temáticos em homenagem a ela, a Betty Boop e a Salvador Dalí. Alguns têm decoração bizarra, outros são superclean, com paredes de tijolo aparente. Os dormitórios são mais arejados e iluminados que os do Chelsea International, e os quartos superiores têm banheiro privativo e mais espaço alguns com TV de tela plana, DVD ou cama king-size com dossel. Há internet wi-fi grátis.

Hotel Chelsea (222 W 23rd Street, tel.: 212/243-3700. Diárias de US$ 99 a US$ 149, sem café-da-manhã. Cc: todos) Quem aprecia rock e cultura pop em geral tem esse prédio de 1884 como uma verdadeira lenda. Leonard Cohen descreveu cenas picantes com Janis Joplin em uma música que leva o nome do hotel; Sid Vicious, da banda Sex Pistols, matou sua namorada Nancy Spungen em um de seus quartos; ícones como Jimi Hendrix, Andy Warhol, além de poetas beatniks como Allen Ginsberg, viveram lá. De quebra, o Chelsea ainda tem um lobby farto de obras de arte doadas pela clientela famosa. Muitos quartos são ocupados por moradores, mas há suítes renovadas e espaçosas para hóspedes, algumas com quitinetes.

Inn on 23rd Street (131 West 23rd Street, perto da 6th Avenue, tel.: 212/463-0330. Diárias desde US$ 250. Cc: A, M, V) Bed & breakfast que fica numa das ruas mais movimentadas de Chelsea, num casarão construído no século 19. É todo mobiliado com pecas de antiquário, fotos e obras de arte da família dos donos, que, entre outras línguas, falam o português. Os 14 quartos são completos, com camas queen ou king-size, vidros anti-ruído, TV a cabo e internet grátis (a cabo).

Four Points by Sheraton (160 W 25th Street, tel.: 212/581-3300. Diárias desde US$ 217, sem café-da-manhã. Cc: todos) Boa opção para quem deseja se hospedar no miolo de Chelsea sem gastar os olhos da cara. Melhor ainda se a pouca idade do hotel for um critério importante ele existe desde 2003, com tudo novinho e funcional. Boa parte de seus 158 quartos costuma ser ocupada por executivos, que aproveitam a bem equipada academia e as tecnologias de praxe do business center.

Hotel Gansevoort (18 9th Avenue com 13th Street, tel.: 212/206-6700. Diárias de US$ 535 a US$ 635 e de US$ 725 a US$ 955 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) "Hype" no último, este hotel de luxo do Meatpacking District tem atrativos como o bar da moda no terraço, os banheiros de design com amenities da marca inglesa Molton Brown, as suítes com pé-direito alto e camas grandes com lençóis de algodão egípcio em frente a telas planas com DVD. No lobby, a porta giratória seria a mais alta do mundo. Mas difi cilmente tudo isso supera a vista espetacular em 360 graus que se tem da piscina na cobertura, turbinada com iluminação colorida e sistema de som aquático. De lá vê-se, por exemplo, o Empire State e o sol se pondo no Rio Hudson. Design e localização que agrada a jovens bem-nascidos.

The Maritime Hotel (363 W 16th Street, 212/242-4300. Diárias de US$ 375 a US$ 1 500 e de US$ 435 a US$ 3 000 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Não se assuste com a fachada estranha: antes de ser inaugurado o estiloso Maritime Hotel, em 2003, este prédio serviu de sede para o sindicato dos marinheiros. Seus novos donos não deixaram escapar a piada e o transformaram em um projeto temático. Sendo assim, as janelas têm formato de escotilhas de quase 2 metros de diâmetro, com vista para o Rio Hudson, e a decoração das suítes também apela ao tema náutico. A clientela, jovem e bem-sucedida, curte a vizinhança bombada e os restaurantes japonês e italiano do hotel, além dos atributos de seus cento e poucos quartos, como TVs de tela plana, wi-fi e jornais pela manhã, grátis.

Soho House (29-35 9th Avenue, tel.: 212/627-9800. Diárias de US$ 525 a US$ 1 450, sem café-da-manhã. Cc: A, M, V) O exclusivo clube britânico que abriu uma filial no Meatpacking District, de fato, privilegia seus sócios. E eles são a nata social jovem de Manhattan. Suas 24 suítes equipadas com vários eletrônicos têm vigas de madeiras expostas e paredes de tijolinho, estética concebida pela designer inglesa Ilse Crawford. Não é tão simples obter uma reserva, mas, uma vez conseguida, as portas estão abertas a restaurantes, bares e salas de jogos, todos decorados fi namente, e à famosa piscina na cobertura (figurinha fácil em episódio do seriado Sex and the City).

SoHo Grand NYC - 310 West Broadway, tel.: 800 965 3000. Diárias a partir de U$D 265 (tarifas na internet)

Affinia Dumont (150 E 34th Street, tel.: 212/481-7600. Diárias desde US$ 289 e US$ 414 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Um dos preferidos das agências de turismo brasileiras, o Affi nia se situa bem no centro de Midtown, com fácil acesso aos metrôs. A maioria das suítes tem decoração moderna e cozinha, conveniente para quem viaja em família. Para os padrões de Manhattan, os apartamentos são espaçosos.

Algonquin (59 W 44th Street perto da 6th Avenue, 212/840-6800, algonquinhotel.com. Diárias desde US$ 329 e desde US$ 559 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Um marco da cidade, onde, na década de 1920, escritores e jornalistas - entre eles, Dorothy Parker e Alexander Woollcott - se reuniam quase diariamente. O famoso restaurante Round Table era o point. A decoração dos espaçosos quartos é coerente com a tradição.

Big Apple Hostel (119 W 45th Street, tel.:212/302-2603. Diárias desde US$ 39 e US$ 60 (AT), sem café da manhã. Cc: todos) Albergue colado em Times Square. É um dos mais simples e econômicos de Nova York: não inclui toalhas e os quartos não têm ar-condicionado, ou seja, venha no verão e entenda por que essa região já foi chamada de Cozinha do Inferno (o bairro se chama Hell's Kitchen).

Bryant Park Hotel (40 W 40th Street, tel.:212/869-0100. Diárias desde US$ 395 e US$ 495 (AT), sem café da manhã. Cc: todos) Hotel-butique com 128 quartos, 20 deles com vista para o Bryant Park, em frente. É esse parque que abriga as semanas de moda de Nova York, todo mês de fevereiro e setembro - adivinhe por que o hotel é queridinho do povo fashion? Ele ocupa o prédio histórico Radiator Building, e os quartos têm piso de madeira, mobiliário moderno e tapetes tibetanos. Há uma sala de cinema para 70 pessoas, bem requisitada para exibições privadas. E, como não poderia deixar de ser, restaurante o Koi, de Los Angeles e bar agitados.

Carlton Arms Hotel (160 E 25th Street tel.: 212/679-0780. Desde US$ 80. Cc: todos) O que falta ao Carlton Arms em conforto sobra em atitude. Cada aposento é decorado com um tema diferente, sempre com design de artistas locais. Os quartos com banheiro custam 30 dólares a mais e, se você fi car mais de uma semana, recebe desconto. Popular entre jovens europeus e grupos: o ideal é fazer reserva com pelo um mês de antecedência porque ele costuma lotar. Uma das pinturas espalhadas pelos corredores manda: "Viva rápido, morra jovem". Esse é o clima.

Carnegie Hotel (229 W 58th Street, tel.: 800/964-6835. Diárias desde US$ 200, sem café-da-manhã. Cc: todos) O discreto hotel-butique tem apenas 20 quartos, com pequena cozinha e acesso a internet. Próximo a vários museus, ao Central Park e ao Lincoln Center, mas numa área mais discreta de Midtown.

Court Yard Times Squase South (114 W 40th Street, 212/391-6023. Diárias desde US$ 279. Cc: todos) Um hotel da Rede Marriott, mas com preços mais baixos. Uma reforma em 2007 deu travesseiros fofi nhos, edredons impecáveis e colchões confortáveis aos quartos. O foco é no hóspede executivo, mas turistas apreciam a localização pertinho da Times Square e do Empire State.

Building Dream Hotel (210 W 55th Street, tel.: 212/247-2000. Diárias desde US$ 233 a US$ 600, sem café-da-manhã. Cc: todos) Com seu visual que mistura esoterismo contemporâneo a uma mobília e uma iluminação "cool", o Dream Hotel atrai a clientela "trendy". As luzes têm papel crucial na caracterização dos 220 quartos com TV de plasma, agindo sobre paredes brancas de forma distinta em cada habitação. O spa tem aulas de ioga e meditação para os hóspedes.

Four Seasons (57 E 57th Street, tel.: 212/758-5700. Diárias de US$ 625 a US$ 1 295 e de US$ 855 a US$ 1 550 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) O prédio é do mesmo arquiteto da pirâmide do Louvre, em Paris. Marilyn Monroe era habitué. John Kennedy e Jackie O. também. Considerado um dos melhores do país, pelo serviço de luxo e a classe de seus interiores, o Four Seasons tem quartos de 55 m2, camas incríveis, muito mármore e pé-direito alto alguns com varandas mobiliadas. Aluguel de celulares e carros com motorista, spa completo, toda a estrutura tecnológica para hóspedes executivos, serviço de quarto duas vezes ao dia... Tudo o que se espera de um cinco-estrelas top está aqui. E com uma boa dose de glamour. De seus 52 andares, o visual de Manhattan é privilegiado.

Gershwin Hotel (7 E 27th Street, tel.: 212/545-8000. Diárias de US$ 109 a US$ 219 e de US$ 135 a US$ 335 - AT. Cc: todos) Bem localizado, entre a Union Square e o Empire State, pertinho do Chelsea. Faz a linha budget-butique com decoração extravagante vide a fachada vermelha ornamentada com lustres modernosos que lembram esculturas de Gaudí. Também tem dormitórios com seis a dez camas, desde US$ 40 por pessoa. Os quartos duplos seguem a decoração estilosa alguns estão meio velhinhos, mas os banheiros (pequenos) foram reformados. Leve sua toalha, já que o hotel só fornece os lençóis.

Gramercy Park Hotel (2 Lexington Avenue, tel.: 212/475-4320 e 212/475-4320. Diárias desde US$ 665 e US$ 865 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Quando abriu as portas, em 1925, iniciou sua lendária trajetória, ao tornar-se ponto de encontro de artistas boêmios e fi guras da alta sociedade. Freqüentador assíduo, o ator americano Humphrey Bogart casou-se lá. O Gramercy foi renovado e reinaugurado em 2006, já sob o comando do hoteleiro Ian Schrager e do artista Julian Schnabel, que lhe devolveram o posto entre os hotéis mais badalados da ilha.

Grand Hyatt (Park Avenue com 42nd Street, tel.: 212/883-1234 e 212/883-1234. Diárias de US$ 289 a US$ 670 e de US$ 489 a US$ 880 (AT). Cc: todos) Tem 1 311 quartos - um dos gigantes da cidade, localização central imbatível e o estilo suntuoso de um Hyatt, claro. Passou por uma recente reforma para atualizar a decoração e os equipamentos eletrônicos, TV de plasma, despertador com CD etc. Os hóspedes dos quartos Regency Club têm andares privativos, café-da-manhã incluído, chá da tarde e drinques na happy-hour. O restaurante tem uma linda vista para a Park Avenue.

Hilton New York (1335 6th Avenue, tel.: 212/586-7000 e 212/586-7000. Diárias desde US$ 299 e US$ 459 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Este sim é o maior da cidade, com 46 andares e 1 980 quartos. Desde sua abertura, em 1963, já passou por diversas reformas, inclusive uma recente que custou US$ 148 milhões. Tem belos fi tness center e spa, dois bares e dois restaurantes novos. Os quartos têm banheiros de mármore, cafeteira, internet wi-fi e a cabo, despertador com entrada pra MP3 e jornais grátis.

Hotel 17 (225 E 17th Street, tel.: 212/475-2845 e 212/475-2845. Desde US$ 90. Cc: todos) Versão mais comportada do Carlton Arms, só que com a mesma "vibe" moderninha. Foi cenário do fi lme Um Misterioso Assassinato em Manhattan, de Woody Allen. Os quartos têm pé-direito alto, papéis de parede e colchas floridas, e alguns, lareira: peça-os na reserva, se estiver viajando no inverno.

Hotel Stanford (43 W 32nd Street, tel.: 212/563-1500 e 212/563-1500. Diárias desde US$ 150. Cc: todos) É o hotel padrão de Midtown: quartos em tons bege, sem charme extra, mas com o conforto básico para quem passa o dia caminhando e volta só para dormir e tomar banho. O staff é simpático, e o lobby, amplo e iluminado. A passos da Macy's e do Empire State. Uma raridade em Nova York: inclui o café-da-manhã.

Inn at Irving Place (56 Irving Place, tel.: 212/533-4600 e 212/533-4600. Diárias de US$ 325 a US$ 645. Cc: todos) Bed & breakfast do elegante bairro Gramercy Park, o Inn ocupa um casarão estilo brownstone histórico, renovado em 1993. Permanece discreto na vizinhança, evitando até a placa com o nome na porta. Está entre os mais românticos de Manhattan. Cada um dos quartos tem mobília de antiquário, lareira e modernos aparelhos eletrônicos. Um de seus atrativos é a sala de chá Lady Mendl's Tearoom, decorada no estilo vitoriano.

Paramount Hotel Times Square (235 W 46th Street, tel.: 212/764-5500 e 212/764-5500. Diárias de US$ 269 a US$ 439 (AT) e de US$ 179 a US$ 349, sem café-da-manhã. Cc: todos) Parceria inaugural do gênio hoteleiro Ian Schrager com o não menos festejado designer Philippe Starck, segue o conceito de quartos bem pequenos, mas decorados com um tom de excentricidade e bom humor, além de equipados com o melhor dos eletrônicos. Esbanja charme e espaço nas áreas públicas do hotel, com bares, lobbies e restaurantes sempre cheios de gente bonita. Internet wi-fi não incluída (custa US$ 14,95 por dia).

Pod Hotel (230 E 51st Street, tel.: 212/355-0300 e 212/355-0300. Diárias desde US$ 250. Cc: todos) Cheio de estilo, feito sob medida para o viajante moderno: internet wi-fi de graça, carregador de iPod com caixas de som e TVs LCD. Costuma fazer promoções (como quartos desde US$ 119 no verão), então cheque o site antes de reservar. Há quartos mais baratos, com um beliche e banheiro compartilhado (desde US$ 169). Mas todos são minúsculos: vai viajar para fazer compras? Procure outro hotel.

San Carlos (150 E 50th Street, tel.: 212/755-1801 e 212/755-1801. Diárias de US$ 390 a US$ 460. Cc: todos) São 147 quartos, enormes, com microondas e frigobar alguns têm até uma pequena cozinha. Perfeito para turmas ou famílias. A decoração é muito sóbria. É dos poucos que inclui café-da-manhã: que vai pouco além de suco artifi cial, café aguado, pão e iogurte. Mas internet wi-fi e jornal no quarto também são grátis. Melhor: crianças até 12 anos no quarto dos pais não pagam. E ainda dá pra levá-las à pé ao ringue de patinação no gelo do Rockfeller Center.

St. Regis Hotel (2 E 55th Street com 5th Avenue, tel.: 212/753-4500 e 212/753-4500. Diárias de US$ 695 a US$ 1 045 e de US$ 1 095 a US$ 1 295 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Em meio à fervilhante NY, na Quinta Avenida com a Rua 55, o St. Regis é um oásis de elegância à moda européia. O prédio é um marco do estilo beaux-arts, desde 1904. A atmosfera clássica está selada, nos quartos, por paredes forradas de seda, lustres de cristal e poltronas Luís 16. As camas king-size fofinhas e os banheiros de mármore não faltam. Há dois anos, o St. Regis passou por um "make-up" de 100 milhões de dólares que manteve a decoração "old school", mas com tudo tinindo de novo. O serviço é impecável. O bar King Cole diz ter inventado o Bloody Mary. E o hotel ainda abriga o novo restaurante de Alain Ducasse, o Adour.

W New York Midtown East (541 Lexington Avenue, tel.: 212/755-1200 e 212/755-1200. Diárias desde US$ 519 e US$ 609 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Fica numa área movimentada, mais comercial e menos turística de Midtown. O hotel mantém a qualidade da cadeia Starwood com a pegada contemporânea/design da bandeira W. Os quartos bem decorados podem pecar pelo tamanho, mas o staff é atencioso. Seu bar, o Whiskey Blue, é bem popular na área, freqüentado por jovens executivos durante a happy-hour.

The Waldorf-Astoria (301 Park Avenue, tel.: 212/355-3000 e 212/355-3000. Diárias desde US$ 429, sem café-da-manhã. Cc: todos) Nome famoso da hotelaria de luxo da cidade, desde sua construção, em 1931, tem tamanho proporcional ao prestígio: ocupa um quarteirão inteiro da Park Avenue. A pomposa fachada, em estilo art-déco, dos arquitetos Schultze e Weaver, é um ícone nova-iorquino. Marilyn Monroe costumava se hospedar por meses lá, na década de 50. Hoje integra o império Hilton, tem inúmeros tipos de quartos, dos cama-e-banheiro comuns a outros com cozinha, terraço e closet, muitos com antigüidades dentro. Mas não anda dos mais badalados não poderia ser diferente num hotel onde grupos de turistas podem fazer um tour guiado pelas suas áreas comuns.

Westin New York at Times Square (270 W 43rd Street, tel.: 212/201-2700 e 212/201-2700. Diárias de US$ 469 a US$ 2 000. Cc: todos) Apesar de o hotel ficar na intersecção mais louca de Nova York, pode ser um dos mais tranqüilos da cidade, dependendo da suíte em que você se hospeda. A mais cara, Renewal, tem equipamento de ginástica, banheira de hidromassagem, purifi cadores de ar, flores, velas e até livros e vídeos de ioga. No geral, a atmosfera do Westin é bem business. E os quartos têm estilo e confortos como camonas impecáveis, TVs de plasma e rádio-relógio com entrada pra MP3.

39 Plaza (5th Avenue com 59th Street, tel.: 212/759-3000 e 212/759-3000. Diárias desde US$ 695 e US$ 995, AT, sem café-da-manhã; Cc: todos). Depois de passar por uma reforma de US$ 400 milhões, a instituição nova-iorquina reabriu as portas no fim de 2007, em tempo para sua comemoração de 100 anos.

36 Riverside Wyman House (36 Riverside Drive, tel.: 212/799-8281 e 212/799-8281. Diárias desde US$ 250, sem café-da-manhã) Pamela Wyman, uma das donas, fez questão de personalizar a decoração de cada uma das seis suítes desta casa de 120 anos no Upper West Side. E ela caprichou na escolha dos temas, que vão de Viena do século 18 ao Palácio de Versalhes — tudo no estilo clássico europeu, cheio de detalhes e com cara de casa própria. Cuidadosa, ela abastece as cozinhas dos quartos com guloseimas. Cada um tem cama queen-size, TV a cabo, banheiro, internet wi-fi e ligações locais grátis. Camareiras só limpam o quarto a cada três dias. Como bônus, há vista para o Riverside Park. Atenção: exige-se estadia mínima de três noites e crianças menores de 12 anos não são aceitas.

The Amsterdam Inn (340 Amsterdam Avenue, tel.: 212/579-7500 e 212/579-7500. Diárias desde US$ 169, sem café-da-manhã. Cc: todos) Ignore o fato de eles clamarem no site que apostam no conceito butique. O barato mesmo aqui são os quartos com cozinha e a localização, no centro do Upper West Side, a passos de cafés, do Museu de História Natural e da déli Zabar's. Os quartos são pequenos e barulhentos, mas vale o custo/benefício por estar numa das regiões mais agradáveis de Manhattan.

The Carlyle (35 E 76th Street, tel.: 212/744-1600 e 212/744-1600. Diárias de US$ 550 a US$ 885 e de US$ 885 a US$ 1 135 (AT), sem café-da-manhã. Cc: todos) A equipe de funcionários deste hotel de 1930 gosta de se vangloriar por sua discrição. Estão acostumados a receber líderes políticos, artistas e estrelas pop em suas elegantes dependências. Tem equipados e belos quartos, alguns com terraço e piano, e vista para o Central Park. As amenities são da Kiehl's. O prédio foi projetado pelos arquitetos Bien & Prince, que colocaram no topo a torre (Carlyle Tower) que virou sua marca registrada.

Country Inn the City (270 W 77th Street, tel.: 212/580-4183 e 212/580-4183, countryinnthecity.com. Diárias de US$ 275 a US$ 350. Cc: M, V) São quatro quartos espaçosos com banheiro privativo e minicozinha que já vem com café, chá, leite, geléia e cereais, entre outras comidinhas para quebrar o galho no café da manhã. Um dos pontos fortes é a decoração, muito bem cuidada um quarto tem paredes vermelhas, outro, cama com dossel. Há regras estritas: cada quarto recebe no máximo duas pessoas, é preciso reservar para um mínimo de três noites e só há camareira a cada três ou quatro dias para quem fica por mais tempo.

The Franklin Hotel (164 E 87th Street perto da Lexington Street, tel.: 212/369-1000 e 212/369-1000. Diárias desde US$ 239 e US$ 419 - AT. Cc: todos) Fica numa das tranqüilas ruas arborizadas do Upper East e no centro da Museum Mile, pertinho das compras da Madison e do Central Park. O café-da-manhã está incluído e os 50 quartos são decorados com elegância, com tons neutros e algumas peças de antiquário na mobília. Mimos de luxo: as roupas de cama são da marca italiana Frette e os produtos de banho, Bulgari.

Hotel Beacon (2130 Broadway, 212/787-1100 e 212/787-1100. Diárias de US$ 220 a US$ 650 e de US$ 295 a US$ 650 - AT, sem café-da-manhã. Cc: todos) Com localização imbatível - próximo ao Central Park e ao Museu de História Natural - o Beacon não é só um hotel. Cerca de 25% de seus mais de 200 apartamentos são alugados para moradores. Por ter esse formato flexível, pode ser mais confortável para quem viaja em pequenos grupos ou em família. Uma sala de estar e uma cozinha farão com que você se sinta ainda mais "em casa" na cidade.

Hotel Newton (2528 Broadway, tel.: 212/678-6500 e 212/678-6500. Desde US$ 95 e US$ 130 (AT), sem café-da-manhã. Cc: todos) Barato e simples, numa região pouco turística de Manhattan: perto das igrejas do Harlem e das compras na Columbus Avenue. Os 105 quartos são completos, com TV a cabo e internet wi-fi. A decoração é um tanto antiquada.

Hudson (356 W 58th Street, tel.: 212/554-6000 e 212/554-6000. Diárias de US$ 339 a US$ 589 e de US$ 379 a US$ 629 - AT. Cc: todos) Um talento dos empreendedores nova-iorquinos é transformar edifícios sem graça em referências mundiais de sofi sticação. É o caso deste descoladíssimo hotel, que funciona onde já operou a entidade juvenil YMCA. Foi o hoteleiro Ian Schrager que não fez cerimônia e recrutou o designer estrela Philippe Starck para recriar o ambiente. Os encantos são muitos: quartos inspirados em cabines de iates luxuosos (apesar de pequenos), luminárias decoradas pelo pintor Francesco Clemente, a fabulosa Hudson Cafeteria e a ambientação surreal do Hudson Bar. Cada ambiente comum é uma atração à parte.

Jazz on the Park (36 W 106th Street, tel.: 212/932-1600 e 212/932-1600. Diárias desde US$ 32, em dormitórios de banheiro compartilhado, sem café-da-manhã. Cc: todos) O nome do albergue já diz: jazz ao vivo nos fins de semana e colado no Central Park. É das mais bacanas opções para mochileiros da cidade. Se fica fora de mão para quem planeja passar o tempo todo em Downtown, é ótimo para quem está com o orçamento apertado e pensa em explorar os museus de Uptown e as igrejas do Harlem.

Mandarin Oriental (80 Columbus Circle, tel.: 212/805-8800 e 212/805-8800. Diárias de US$ 695 a US$ 985 e de US$ 955 a US$ 1 435 (AT), sem café da manhã. Cc: todos) Parte do complexo do Time Warner Center, o hotel propõe o encontro do estilo oriental da cadeia Mandarin com elementos contemporâneos nova-iorquinos. O resultado é um luxo traduzido em incríveis vistas panorâmicas — dos quartos, dos banheiros revestidos em mármore e do lobby no 35o andar e suítes decoradas com ares asiáticos, munidas de TVs de última geração e lençóis de luxo. De seu concorrido spa vê-se o Rio Hudson. Time Warner Center.

Plaza Athenee (37 E 64th Street, tel.: 212/734-9100 e 212/734-9100. Diárias de US$ 575 a US$ 4 700, sem café-da-manhã. Cc: todos) A fachada relativamente discreta e o parentesco com Paris (o outro hotel da rede fica na Champs-Elysées) dão um charme particular ao Plaza Athenee, em meio ao mar de luxo e design que marca boa parte da hotelaria novaiorquina. Lá, refi namento e elegância mostram-se nos 149 quartos e suítes em estilo europeu e com conexão de internet, CD players, TV a cabo etc. Alguns têm ainda salas de jantar e varanda com vista para a Quinta Avenida, além de detalhes delicados como antigas escrivaninhas.

West Side YMCA (5 W 63rd Street, tel.: 212/875-4281 e 212/875-4281. Diárias desde US$ 100, sem café-da-manhã. Cc: todos) O melhor deste albergue, que pertence à Associação Cristã de Moços, é o complexo de ginástica, gratuito, com duas piscinas, aulas de aeróbica, sala de musculação e sauna. Os quartos são single ou duplos e têm banheiros compartilhados.

Bed and Breakfast on the Park (113 Prospect Park West, tel.: 718/499-6115 e 718/499-6115. Diárias desde US$ 165 e US$ 200 (AT). Cc: M, V) Decorado no estilo vitoriano, esse B&B fica numa tradicional casa brownstone, nas calmas ruas residenciais ao redor do Prospect Park. As diárias incluem café-da-manhã servido em pratos de porcelana e toalhas de linho, com deliciosos crepes e panquecas no menu. Alguns dos quartos têm lareira, cama com dossel e vistas para o parque.

Hotel le Bleu (370 4th Avenue, Park Slope, tel.: 718/625-1500 e 718/625-1500. Diárias de US$ 263 a US$ 399. Cc: todos) O único hotelão do Brooklyn abriu em 2007 em uma torre de vidro nova em folha, esbanjando design moderno e tecnologia high-tech. Seus 48 quartos são equipados com colchão ortopédico, TVs de plasma de 42 polegadas, iPods e frigobar. Seu restaurante, Vue, ostenta vista para Manhattan e a Estátua da Liberdade.

The Roosevelt hotel - 45 East 45th Street, New York, NY 10017, United States tel.: (866) 530-9379 e (866) 530-9379

Radisson Martinique on Broadway
Hotel super bem localizado, fica próximo ao empire estate building, a estação é a Penn Station! Foi o hotel que fiquei quando estive em New Yok. Não é um luxo, mas o banheiro é bem bom, o quarto limpo. Não serve café da manhã.
49 West 32nd Street, New York NY 10001,
Reservas 1-800-395-7046 e 1-800-395-7046
Tel.: (212) 736-3800 e (212) 736-3800
Fax.: (212) 277-2702
Email: rhi_many@radisson.com

Comfort Inn Manhattan
42 West 35th Street, Manhattan, NY 10001
Tel.: 212-947-0200 e 212-947-0200
Fax: 212-594-3047
Email: gm.ny410@choicehotels.com

Renaissance New York Hotel Times Square
Two Times Square, 714 Seventh Avenue at W. 48th Street
New York, New York 10036 USA
Tel.: 1-212-765-7676 e 1-212-765-7676
Fax: 1-212-765-1962
Sales: 1-212-930-1100 e 1-212-930-1100
Sales fax: 1-212-930-1197

New York Marriott Marquis
1535 Broadway
New York, New York 10036 USA
Tel.: 1-212-398-1900 e 1-212-398-1900
Fax: 1-212-704-8930
Sales.: 1-212-930-7608 e 1-212-930-7608
Sales fax.: 1-212-704-8969
Toll-free.: 1-800-843-4898

The Plaza
Fifth Avenue at Central Park South, New York, New York
TOLL FREE: 1 (888) 850-0909 e 1 (888) 850-0909
Tel.: (212) 759-3000 e (212) 759-3000
Fax.: (212) 759-3001
Email: theplaza@fairmont.com

Sheraton Manhattan at Times Square
790 7th Avenue 51st Street
New York,New York - 10019
tel.: (212) 581-3300

Sheraton New York Hotel & Towers
811 7th Avenue 53rd Street
New York,New York - 10019
Tel.: (212) 581-1000 e (212) 581-1000

The Pierre
2 East 61st Street - New York
U.S.A. 10065
Tel.: (212) 838-8000 e (212) 838-8000
Fax.: (212) 940-8109
Email: thepierre.ny@tajhotels.com

Le Parker meridien New York
119 West 56th Steet
New York, NY 10019, USA
tel.: (212) 245-5000 e (212) 245-5000
O mêtro é 57th St station

Residence Inn Marriott New York Manhattan/Times Square
1033 Avenue of the Americas - New York, New York 10018 USA
Tel.: 1-212-768-0007 e 1-212-768-0007
Fax.: 1-212-938-0180
Sales.: 1-212-768-0007 e 1-212-768-0007
Sales fax.: 1-212-938-0182

Sofitel New York
45 West 44TH Street 10036 NEW YORK, USA
tel.: (+1)212/354-8844, (+1)212/354-8844, (+1)212/354-2480 e (+1)212/354-2480
Email: sofitel.newyork@sofitel.com

W New York - The Tuscany
120 East 39th Street, Between Lexington and Park Avenue
New York,New York - 10016
Tel.: (212) 686-1600 e (212) 686-1600

Há dois bons sites na internet, que você pode reservar hotéis e alguns com bons descontos. Nunca utilizei este serviço, mas agora para o Ano Novo uma amiga fez a reserva pela Booking.com. Depois que ela voltar posto aqui a opinão dela, para ver se deu tudo certo - as reservas dela foram feitas na Itália. Outro site que tem para reservas de hotéis é o Hoteis.com. Se alguém utilizou poste suas dicas e opiniões!

Se você tiver vontade - e tempo, você pode alugar um apartamento em New York. Alguns são para estdia de 30 dias ou mais.

Como não utilizei este serviço, tem uma amiga que ficou reservou um pela Furnished Apartment. Ela gostou na época.

Também tem a rede Premier - com aluguéis para 30 dias. Acesse o site para maiores informações de valores e localização.

Onde comer

Babycakes (248 Broome Street., Tel: 212/677-5047 e 212/677-5047. Dom e seg:10h/20h, Terça a quinta: 10h/22h e sexta e sábado 10h/23h). Cc: A, M, V) Podem falar o que quiserem da Magnolia Bakery e sua fama conquistada em Sex and the City. As melhores cupcakes estão no Lower East Side, nessa padaria com jeito de quarto de adolescente. As babycakes não levam açúcar, farinha ou glúten. E mesmo assim são uma das sobremesas mais gostosas da cidade. Viciante.

Balthazar (80 Spring Street com Crosby Street, tel.: 212/965-1414 e 212/965-1414. De segunda a quinta:7h30h/11h30, 12h/17h e 17h45/1h, Sextas:7h30/11h30, 12h/17h e 17h45/2h, Sabádos: 8h/16h e 17h45/2h, Domingo: 8h/16h e 17h30/24h. Cc: A, M, V) É um clássico de Manhattan desde o fim dos anos 90 ? e permanece badalado. A casa ícone do competente restauranteur Keith McNally (dono do Pastis e Schiller?s, entre outros), abre no café-da-manhã, almoço e jantar, com delícias típicas das brasseries francesas. Prove o steak tartar, a torta de pato, o skate (um peixe) à beurre noir e alcaparras... As baguetes da boulangerie anexa são demais.

Bouley Upstairs (120 West Broadway,tel.: 212/964-2525 e 212/964-2525, Almoço de segunda a sexta: 11:00 as 15:00, Jantar - de segunda a quinta: das 17:00 as 23:00 e sexta e sábado: 17:00 as 23:30. Cc: todos) O chef David Bouley não falha no excelente menu degustação da casa (ele costuma dividir seu tempo entre as panelas do francês Bouley e do austríaco Danube, outro de seus restaurantes). A carta de vinhos tem preços razoáveis e o menu muda a cada estação. A entrada Return to Chiang Mai (US$ 21) é um hit: leva lagosta, alcachofra fresca e manga envoltas em presunto Serrano, com molho de maracujá, tamarindo e coco fresco.

Cafe Gitane (242 Mott Street, TEL.: 212/334-9552 e 212/334-9552. De domingo a quinta: 09:00 as 12:00, sexta e sábado: 09:00 as 12:30) Com mesinhas em uma das tantas calçadas charmosas de Nolita, é um café de estilo parisiense, com cardápio franco-marroquino. Tartar de salmão, almôndegas com molho apimentado, aperitivos aromáticos com queijo feta, tudo é gostosinho, mas quase perde para a delícia de tomar um expresso no intervalo das compras, curtindo o passa-passa fashion.

Centovini (25 West Houston, tel.: 212/219-2113 e 212/219-2113. Segunda a sexta: 12h/15h e 17h30/23h,Sábados: 12h/16h e 17h30/23h e Domingos:12h/16h e 17h30/22h. Cc: todos) Como diz o nome, o foco é na adega com 100 vinhos italianos, vendidos em taças e garrafas. Para degustação, há um balcão de mármore branco. Para compra, uma lojinha ao lado. O Centovini é fruto de uma parceria do dono do restaurante italiano I Trulli da Vino com os donos da loja de design descoladérrima do Soho Moss - repare nos bancos brancos do bar. Quem senta para comer acha um menu também italiano, com muito queijo pecorino, prosciutto, salames e massas.

Dean & Deluca (560 Broadway Street com Prince Street, tel.: 212/226-6800 e 212/226-6800, De segunda a sábado: 9h/20h e Domingo: 10h/19h, Cc: A, M, V.) Só de entrar já dá água na boca. São tantos e tão lindos os temperos, as tortas, as frutas lustrosas, os formatos e cores de pães que você fi ca querendo morar em Nova York só pra encher a geladeira ali. O empório gourmet de Joel Dean, Giorgio DeLuca e Jack Ceglic abriu a loja no Soho em 1977, num armazém antigo: hoje é a mais badalada entre as oito fi liais de Manhattan. Há também utensílios de cozinha bacanas e funciona como café - não há mesas, mas ninguém se importa de comer os sanduíches no balcão, em pé.

Financier Pâtisserie (62 Stone Street, tel.: 212/344-5600 e 212/344-5600, De segunda a sexta:7h/20h e sábados: 8h30/18h30. Cc: A, M.) Fica numa simpática ruazinha de paralelepípedos, com mesas na calçada. É um achado entre os restaurantes de fast-food do Financial District. Além dos docinhos inspiradores, serve café, saladas, sopas e sanduíches apetitosos. O café-da-manhã é outra boa pedida.

L'Ecole (462 Broadway,tel.: 212/219-3300e 212/219-3300, Horarios: 12h30/14h e 17h30/21h. Cc: todos) O restaurante do Instituto Francês de Culinária (French Culinary Institute) é comandado por alunos e por isso uma das melhores barganhas de Nova York. O ótimo menu de cinco pratos por US$ 42 inclui clássicos da culinária francesa mas também inovações que às vezes podem deixar a desejar: afi nal, o chef é um aprendiz. É justamente essa a graça de se jantar aqui. No final da refeição, você recebe uma espécie de boletim, onde pode avaliar a performance do cozinheiro. Vale dar estrelinha.

Nobu (105 Hudson Street próximo à Franklin Street,tel.: 212/219-0500 e 212/219-0500, De segunda a sexta: 11h45/14h15 e 17h45/22h15,Sábado e domingo: 17h45/22h15. Cc: todos) Perdeu parte do seu glamour depois que começou a abrir franquias pelo mundo (já são 15 destinos como Las Vegas, Milão, Hong Kong e Mykonos). Mas continua cheio. E a comida japonesa fusion do chef Nobu Matsuhisa ainda está entre as melhores da cidade (entre as dezenas de melhores da cidade): o tartar de atum em leito de abacate é um clássico. (Há quem diga que os sushis não são de suspirar.) O bom é que a matriz em Tribeca é grande o suficiente para que, sim, você tenha boas chances de conseguir uma reserva.

Nobu Next Door (Hudson Street próximo à Franklin Street, tel.: 212/334-4445 e 212/334-4445, de segunda a quinta: 17h45/24h, sexta e sábado: 17h45/1h e domingo: 17h45/23h. Cc: todos) É a filial casual do vizinho Nobu. O Next Door também tem design assinado por David Rockwell (nesse caso, com uma parede forrada de alga japonesa e redes de pesca pendendo do teto) e também tem Robert de Niro como sócio do chef Matsuhisa. A diferença? Fica aberto até mais tarde, tem música, um bar para comer e se não reservar - fará esperar um bom bocado antes de sentar.

The Odeon (145 West Broadway,tel.:212/233-0507 e 212/233-0507, De segunda a quarta 11h45h/1h, quinta e sexta 11h45/2h, sábado 9h/2h e domingo 9h/24h. Cc: todos) É daquele tipo de lugar que nunca sai de moda - e olha que tem mais de 20 anos de Tribeca. O bar art-déco já teve Andy Warhol como habitué e hoje lota de turistas, engravatados e modernos. O martíni é famoso. E o menu típico de brasserie não surpreende nem decepciona: vá de sopa de cebola com gruyère gratinado.

Peking Duck House (28 Mott Street, tel.: 212/227-1810 e 212/227-1810. De domingo a quinta 11h45/22h30,sexta e sábado 11h30/23h30. Cc: A, M, V) Se a idéia é conhecer Chinatown em um jantar especial, este é o lugar. A decoração inclui cortinas vermelhas, toalhas branquinhas, janelas amplas -nada muito carregado como nos vizinhos esteticamente mais étnicos. Não deixe de pedir o carro-chefe do menu, o pato de pequim - suas fatias suculentas e com casquinha crocante podem ser acompanhadas de sopa de repolho curtida nos ossos do animal.

Rice to Riches (37 Spring Street, tel.: 212/274-0008 e 212/274-0008, De domingo a quinta: 11h/23h,Sexta e sábado: 11h/1h. Cc: A, M, V.) Espécie de sorveteria futurista, no coração de Nolita, que, em vez de sorvete, serve arroz-doce. Em 19 sabores, em potinho de plástico vermelho, com colherinha e tudo. Dá para pedir dois sabores num só: do tradicional baunilha ao gourmet abacaxi com manjericão.

Russ & Daughters (179 E Houston Street, tel.: 212/475-4880 e 212/475-4880, Segunda a sábado: 9h/19h domingo: 8h/17h30. Cc: A, M, V.) Esta pequena butique gourmet de Lower East Side vende salmão defumado, arenque e caviar desde 1914, e é prova de como a culinária judaica do Leste Europeu infl uenciou Nova York. Além das guloseimas do mar, prove os delicados bagels superaerados com cream cheese. E leve para o hotel uma caixinha de chocolates com marzipã de pistache.

Schiller's Liquor Bar (131 Rivington Street, tel.: 212/260-4555 e 212/260-4555.De segunda a quarta: 11h/1h, quinta: 11h/2h, sexta: 11h/3h, sábado: 10h/3h e domingo: 10h/1h. Cc: A, M, V.) Parece um botecão de esquina em Lower East Side, com um balcão animado, mesinhas pequenas sobre um piso quadriculado preto-ebranco e garrafas forrando as paredes. Mas a comida é bem melhor do que se espera de um boteco ? e a mão do empresário Keith McNally (dono do Pastis e do Balthazar) tem muito a ver com isso. Nada custa muito caro e você pode esperar clássicos franceses e ingleses, como steak frites e fi sh & chips, no cardápio estilo brasserie. O público é mais do que eclético, e logo fica claro por quê - quem resiste ao bar da moda com um bom restaurante casual?

Snack (105 Thompson, tel.: 212/925-1040 e 212/925-1040. De segunda a quarta: 12h/ 22h, quinta a sábado 12h/23h e domingos: 12h/21h. Cc: A, M, V.) Escondido numa das poucas ruas tranqüilas do Soho, o minúsculo grego (cinco mesas, se tanto) é um achado gastronômico. O serviço é amigável. No menu, mezes (aperitivos gregos) como charutinhos de folha de uva e homus, além de pratos como a salada grega com queijo feta. Não esqueça de pedir a baklava (um folhado com pistaches e mel).

Mandarin Court (61 Mott Street,TEL.: 212/608-3838 e 212/608-3838; Diariamente das 9;00 as 22:30; Cc: A, M, V), badalado em Chinatown por turistas e chineses, que se mantém fiel ao jeitão "poucos amigos" do bairro: os garçons só sabem falar "diet coke" em inglês e olhe lá.

Dim Sum House (24 Pell Street,tel.: 212/577-7176. tel.: 212/577-7176, Diariamente das 10h30 as 22h30), vegetariano que também faz sucesso com carnívoros, já que as porções são fartas e saborosas. Destaque para os rolinhos de broto de feijão e a sopa de noodles e milho.

Ice Cream Factory (65 Bayard Street,tel.: 212/608-4170e 212/608-4170, Segunda a quinta: 11:00 as 22:30 e sexta e sábado: 11:00 as 23:00), que tem sorvetes de sabores exóticos como raiz-forte, feijão-vermelho, chá verde e o bom e velho maracujá (passion fruit, para eles).

Ocean Jewels (133-30 39th Avenue, tel.: 718/359-8600 e 718/359-8600,De segunda a quinta, sexta: 10h/1h, sabádo: 9h/1h e domingo: 9h/24h dom.) Experimente o dim sum.

Suba (109 Ludlow Street,tel.: 212/982-5714 e 212/982-5714, de domingo a quinta: 18h/24h, sexta e sábado: 18h/2h. Cc: todos.) Moderníssimo restaurante espanhol, faz as vezes de bar e sala de cinema algumas noites por mês. Além da culinária criativa, o chef Sea mus Mullen é fã de ingredientes orgânicos e sazonais. O menu de arroces (arroz) tem como estrela a paella valenciana. Gazpachos e bons drinques não faltam. As salas subterrâneas, como o Grotto, cercado por uma piscina borbulhante, são uma atração à parte.

Vesúvio Café and Bakery (160 Prince Street, tel.: 212/925-8248 e 212/925-8248. De domingo a quinta: 8h/17h, Sexta e sábado: 8h/20h. Cc: A, M, V.) Gerações e gerações de vizinhos da comunidade italiana já saborearam os pães quentinhos assados nos dois fornos no subsolo da Vesuvio. Fundada em 1920, auge da imigração italiana, traz receitas segredo da família Dapolito. A Vesuvio é perfeita para um café-da-manhã preguiçoso enquanto a leva de turistas ainda não invadiu as ruas do Soho. Os panini da casa são ótimos, mas você pode escolher os seus ingredientes para colocar na foccacia ou ciabatta. E café forte para acompanhar.

WD-50 (50 Clinton Street, tel.: 212/477-2900 e 212/477-2900, De quarta a sexta: 12h/14h e 18h/23h, sábado, segunda e terça: 18h/23h e domingo: 18h/22h. Cc: todos.) A fachada de tijolinhos, o salão interno com mesas lado a lado, ligadas por um mesmo sofá de encosto alto, não dão pistas sobre o quão notável é o talento do arrojado chef nova-iorquino Wylie Dufresne. Saem da cozinha pratos como sopa de pipoca com camarão (US$ 16), vieiras com cranberry, nozes pecã e consomê de pão (US$ 29) ou peixe turbot com lentilhas na brasa, pêssegos secos e couveflor (US$ 30) - tudo em texturas e formatos inesperados, como pede sua culinária-laboratório. O menu degustação de 12 pratos custa US$ 125, harmonizado com uma taça de vinho (US$ 200).

Katz's Deli (205 E Houston Street, tel.: 212/254-2246 e 212/254-2246, segunda e terça: 8h/21h45, quarta e quinta: 8h/22h45, de sexta a domingo: 8h/2h45; Cc: A, M, V), a déli judaica mais antiga de Manhattan, desde 1888, não é só a única que ainda fatia os pastramis à mão. Nem só a que serviu hot-dogs a presidentes como Bill Clinton e Ronald Reagan (comprove nas fotos da parede) ou foi locação para o orgasmo "fake" de Meg Ryan em Harry & Sally a mesa certa é sinalizada. Tem mais. Na Katz's você pode comprar salames e mandar a um soldado no Iraque. Como? Tudo começou na Segunda Guerra. Os donos da déli enviavam embutidos aos três filhos que combatiam na Europa e selaram o slogan "Send a Salami to Your Boy in the Army?". Com os tempos violentos de volta, a Katz's arrumou um jeito de despachar tudo por navio, ao Iraque ou Afeganistão - encomendas no site. Baita negócio. Além de fazer o melhor sanduíche de pastrami da cidade, ainda une o tino comercial aos mimos de uma yiddish mamme.

Arturo's Pizza (106 W Houston Street, tel.: 212/677-3820 e 212/677-3820. De segunda a quinta: 16h/1h, sexta e sábado: 16h/2h e domingo: 15h/0h. Cc: todos) Numa cidade onde a cada dia alguém declara ter achado a melhor pizzaria (sempre em algum lugarzinho distante), a Arturo?s continua, no coração do Village, servindo as clássicas no forno a lenha. A atmosfera é boêmia, com jazz nas caixas.

Bar Blanc (142 W 10th Street, TEL.: 212/255-2330 e 212/255-2330. Diariamente: 17h30/23h. Cc: A, M, V.) O pequeno Bar Blanc faz parte da onda de bares moderninhos que servem culinária séria. Em menu compacto, os pratos fazem jus à cozinha contemporânea competente desenvolvida pelo chef César Ramirez (ex-Bouley) - recém-substituído por Sebastiaan Zijp (ex-Bouley Upstairs). A atmosfera é sofi sticada (o balcão do bar inteiro de mármore), com eletrônica suave como fundo musical. E tudo muito branco.

Bianca (5 Bleecker Street, esquina com a Bowery Street, tel.: 212/260-4666 e 212/260-4666. De segunda a quinta: 17h/23h, sexta e sábado: 17h/0h e domingo: 17h/22h30.) Gente de toda a cidade vai experimentar o nhoque frito, recheado de salame, mortadela e presunto. Há outras massas, como ravióli de ricota com manteiga e sálvia. Também servem peixe e carne, cada prato por cerca de US$ 15.

Café Loup (105 W 13th Street, tel.: 212/255-4746 e 212/255-4746. De domingo a sexta: 12h/15h e 17h30/23h, sábado 17h30/24h - sáb. Cc: todos) Paredes de tijolinhos, ambiente espaçoso, cadeiras com palha trançada, fachada despretensiosa, tudo é acolhedor neste bistrô de quase 20 anos. A comida, confi ável, vai dos pratos franceses mais elegantes a um hambúrger com fritas - custam em média US$ 20, no jantar. O público é descolado, mas "low profile".

Corner Bistro (331 W 4th Street, TEL.: 212/242-9502 e 212/242-9502, de segunda a sábado: 11h30/16h, domingo: 12h/16h) Serve grandes burguers, deliciosos e baratos. Parte de sua fama é culpa do Bistro Burguer (US$ 7), um colosso de quase meio quilo de carne sob queijo derretido, bacon e cebola crua. Vem em prato de papel que não dá conta do recado e ajuda a engordurar mais o velho balcão de madeira. Sempre lota.

Gotham Bar and Grill (12 E 12th Street, tel.: 212/620-4020 e 212/620-4020; de segunda a sexta: 12h/14h30 e 17h30/22h30, sábados: 17h/23h30hs e domingos: 17h/22h30) Cc: A, D, M, V) Alfred Portale dedica-se tanto à finalização artística dos pratos quanto à sua elaboração. Sua cozinha americana contemporânea leva ingredientes orgânicos e o melhor da estação. O menu de almoço sai por US$ 31, com entrada (salada de beterraba e laranja, sopa de abóbora), prato principal (massa com cordeiro, hadoque assado) e sobremesa.

Lassi (28 Greenwich Avenue, tel.: 212/675-2688e 212/675-2688. De terça a domingo: 12h/22h. Cc: M, V) Um balcão, cinco banquinhos. Este indiano é especializado em lassi, uma espécie de iogurte bebível, sabor manga ou variações. Prove o de café. Acompanham ótimos pratos com temperos fortes e sobremesas incríveis como o delicado pudim de abóbora.

Mudtruck (East Village) (Astor Place, 4th Avenue com 8th Street, de segunda a sexta: 7h/18h, sábado e domingo: 10h/18h) Extremo oposto da gigantesca cadeia de café Starbucks, o simpático Mudtruck é um caminhãozinho laranja que, desde 2001, vende um dos melhores expressos da ilha, estacionado numa movimentada esquina do East Village. Há também um endereço novo, no West Village, na 7th Avenue com a West 4th Street.

N.Y. Dosas (West Village) (W 4th Street com Sullivan Street, tel.: 917/710-2092 e 917/710-2092. De segunda a sábado: 11h/16h) Favorito entre estudantes da NYU, este carrinho vende dosas, uma espécie de crepe indiano recheado com batatas marinadas em curry e chutney de coco.

Hallo Berlin (Hell's Kitchen) (54th Street com 5th Avenue, tel.: 212/947-9008 e 212/947-9008. De segunda a sexta: 11h30/15h30) Há 25 anos, o alemão Rolf Babiel vende salsichas dignas de qualquer Casa do Alemão. Não vá na hora do almoço (entre meio-dia e 2h) para não mofar na fila, já que fica numa região cheia de escritórios.

The Kebab Man of 42nd and Eight (Midtown) (42nd Street com 8th Avenue. De segunda a sábado: 11h/19h) Talvez a carrocinha mais conhecida da cidade. Placas gigantes anunciam aos desavisados: Shish kebab, Hot sausage, Boiled hot dog, Grilled hot dog, Pretzel, Cold soda, Water, Snapple. Fica no meio da multidão do terminal de ônibus Port Authority. Elnagar, o "kebab man", veio do Egito para Nova York há onze anos. Uma curiosidade: sua carrocinha é uma das poucas operadas por motor. Tony "The Dragon".

Dragonas (Upper East Side) (62nd Street com Madison Avenue, tel.: 917/299-1550 e 917/299-1550. De segunda a sexta: 10h30/18h e sábado 11h/17h) Favorito de chefs dos restaurantes chiques da região e das madames que fazem compras na Madison (isso mesmo, chefs e madames num quiosque de rua). Todos param ali para se lambuzar com kebabs, hambúrgueres e sanduíches de prosciutto e mussarela.

Huan Ji Rice Noodles (Chinatown) (Grand Street com Bowery Avenue, tel.: 212/966-623. Diariamente: 7h/20h. Só aceita dinheiro.) O macarrão feito de arroz é um hit em Chinatown há 20 anos. Para acompanhar, bolinhos de peixe e finas fatias de carne de porco ultramacia.

Calexico (Soho) (Wooster Street com Prince Street, tel.: 917/674-1869. De segunda a sexta: 11h/16h30) O melhor milho de Nova York está nesta esquina. Além de uma excelente carne assada dentro de burritos.

Halal Chicken e Gyro (Midtown) (53rd Street com 6th Avenue. Diariamente das 19:30 as 04:30.) Filas homéricas onde rola de tudo (até assassinato, em 2006, quando dois clientes começaram uma briga). O motivo é o arroz com galinha ou o combo de cordeiro com galinha.

26 Dogmatic Dogs (West Village) (Bleecker Street com Hudson Street, tel.: 646/623-5098. De segunda a quinta das 11:00 as 20:00, sexta e sábado das 11:00 as 21:00 e domingo das 17:00 as 19:00) O nome diz tudo: não é qualquer cachorro-quente. O vendedor Jeremy Spector só trabalha com carne orgânica e serve os hot-dogs em baguetes. Os molhos? Queijo feta e mostarda Dijon.

Mary's Fish Camp (64 Charles Street, tel.: 646/486-2185, de segunda a sábado: 12h/15h e 18h/23h. Cc: A, M, V) Mary Redding, dona deste simpático restaurante, veio da Flórida trazendo um know-how calibrado sobre o preparo de delícias do mar. Não é à toa que sua clientela está sempre afobada para conseguir uma das dez mesinhas na calçada nessa esquina do West Village. Quando conseguem sentar, costumam pedir o melhor lobster roll (sanduíche de lagosta) da cidade e exuberantes baldes de mexilhões.

Momofuku Sam Bar (207 Second Avenue, tel.: 212/254-3500, Almoço de segunda a domingo das 11:30 as 15:30 e jantares de domingo a quinta das 17:00 a meia noite e sexta e sábado das 17:00 as 02:00. Cc: A, M, V) A segunda casa do bem-sucedido chef David Chang abriu as portas vendendo apenas o ssam, tipo de burrito asiático. (Os Momofukus - três restaurantes na mesma vizinhança - são pra lá de populares há anos e têm preços altos.) Hoje o menu de inspiração coreana é diverso, mas com carne de porco na maioria dos pratos. Chang faz parte da escola de culinária dos chefs "cabeça-dura" que, com muito talento, criam pratos originais baseados em sua intuição e gosto pessoal.

Pommes Frites (123 2nd Avenue, tel.:212/674-1234. De domingo a quinta: 11h30/1h, sexta e sábado: 11h30/3h30) Pouco mais que um balcão, a especialidade deste buraco no East Village são as batatas fritas servidas à moda belga, o único "prato" no cardápio - e famoso na cidade toda. Elas são grossas e vêm em cones de papel, fritas duas vezes para dar mais cor e textura crocante. Para acompanhar, 25 tipos de molhos, prove vários.

Stand (24 E 12th Street, tel.: 212/488-5900; diariamente: 12h/0h; Cc: A, M, V) Com pouco mais de um ano de vida, já está entre os melhores hambúrgueres da cidade. Há 11 variedades, incluindo uma vegetariana, de quinua, e a que parece ser a favorita, com cogumelo. Para acompanhar, peça uma das sodas da casa, como a de amora, suco de limão e água com gás.

Veselka (144 2nd Avenue, tel.: 212/228-9682. 24 horas. Cc: todos) Já era freqüentado pelos poetas beatniks nos anos 50. Hoje é favorito de imigrantes do Leste Europeu ou jovens clubbers que matam a fome lá depois de sair da balada - funciona night and day. Prove especialidades ucranianas como a sopa Borscht e os pierogi, espécie de ravióli com recheios variados. Ou o café da manhã reforçado com panquecas, ovos e waffles. Custa pouco.

Bar Veloce (176 Seventh Avenue, tel.: 212/629-5300 diariamente: 17h/03h. Cc: A, M, V.) Tem boa carta de vinhos, com opções em taça por menos de US$ 10, e atmosfera de baladinha pós-trabalho. O forte no cardápio são os panini e a bruschetta de mussarela com anchova. Tem filiais no East Village e Soho também.

Buddakan (75 9th Avenue, tel.: 212/989-6699, Domingo e segunda das 17:30 as 23:00, terça e quarta das 17:30 as 00:00, quinta a sábado das 17:30 as 01:00; Cc: A, M, V) A decoração extravagante que junta gigantescos lustres, vasos e pinturas chinesas a mesas de banquete para 30 pessoas.

El Quinto Pino (401 W 24th Street, tel.: 212/206-6900. De domingo a quinta: 17h/0h e sexta e sábado: 17h/1h. Cc: A, M, V.) É a versão moderninha do restaurante de tapas espanhol Tía Pol. Traz porções de azeitonas, anchovas e jamón preparadas exatamente como nos botecos ibéricos. Serve bons vinhos espanhóis por taça e drinques. Alguns pratos do menu vêm com toques de criatividade inspirados em outras culinárias do mundo - com wasabi, por exemplo. Não tem mesas e é minúsculo - pode pegar de surpresa quem não está acostumado a comer no balcão.

Empire Diner (210 10th Avenue, tel.: 212/243-2736 funciona 24h. Cc: M, V .) Nada como uma opção 24 horas que fuja do lugar-comum. Seus freqüentadores não estão ali apenas para encher a barriga com qualquer coisa antes de voltar para casa de madrugada. Além de instalado num imóvel em forma de vagão de trem em estilo art déco, o Empire é único por seu cardápio saboroso - de burgers a pudins de chocolate - suas mesinhas à luz de velas e o pianista tocando ao fundo.

La Lunchonette (130 10th Avenue, tel.: 212/675-0342. Segunda das 17:30 as 23:00, terça a sexta do meio dia as 15:30 e 17:30 as 23:00, Sábado e domingo das 11:30 as 15:30 e das 17:30 as 23:00. Cc: todos) Quem passa por esse trecho da movimentada 10th Avenue geralmente não espera encontrar um restaurante francês. Para o chef Jean-François Fraysse, isso nunca foi um empecilho, e há duas décadas ele mantém sua Lunchonette no mesmo local, com fachada e paredes internas vermelhas. No cardápio, especialidades da celebrada culinária de seu país, como salsichas de cordeiro, foie gras, cassoulet e tarte tatin. Aos finais de semana, serve um concorrido brunch.

La Taza de Ouro (96 8th Avenue, tel.: 212/243-9946. De segunda a sábado 6h/22h30, é fechado aos domingos.) Este restaurante porto-riquenho sobreviveu ao upgrade da região, servindo porções fartas de guisado de porco com arroz e feijão por US$ 8. O serviço é grosseiro e a decoração inexistente (uma placa atrás do balcão exclama: "servimos margarina"!). Lota no almoço.

Morimoto (88 10th Avenue, tel.: 212/989-8883, de segunda a quarta: 12h/14h30 e 17h30/23h, de quinta a sábado: 12h/14h30 e 17h30/0h; bar 12h/1h. Cc: A, M, V) Decorado com toques futuristas que lembram filmes de Stanley Kubrick, de certos ângulos, o segundo restaurante do chef Masaharu Morimoto vai fundo nas pesquisas com peixes, no formato sushi ou cravejados de temperos, como num pastrami. A parede inteira de garrafas de água com iluminação esperta é tão impactante quanto a apresentação dos pratos - e o menu degustação (US$ 120) pode ser acompanhado de saquês indicados pelo sommelier especializado.

23 Better Burger (178 8th Avenue, tel.: 212/989-6688, de domingo a quinta: 11h/23h30, sexta e sábado: 11h/24h; Cc: A, M, V) Espécie de "esquenta" oficial na 8th Avenue.

Benoit (60 W 55th Street, tel.: 646/943-7373, domingo a quarta: 11h45/14h30 e
17h30/22h30 e de quinta a sábado: 11h45/14h30 e 17h30/23h. Cc: todos) O bistrô de Alain Ducasse, só pela fama do chef, já concorre entre os melhores da cidade. Pratos simples como frango assado com alho e batatas e sobremesas como a tarte tatin chegam à mesa impecáveis. Considere ir em grupo porque as porções são ótimas para dividir coisa rara. Só não espere invencionices no cardápio ou decoração surpreendente.

Le Bernardin (155 W 51st Street, tel.: 212/554-1515, de segunda a quinta: 12h/14h30 e 17h15/22h30, sexta: 12h/14h30 e 17h15/23h , sábado: 17h15/23h. Cc: todos) Por quase duas décadas, o chef Eric Ripert vem mantendo o Le Bernardin na lista dos melhores restaurantes da ilha - é dono de três estrelas do guia Michelin. Como tal, o que se pode esperar da casa é uma refeição perfeita - em todos os sentidos. A comida é a francesa clássica, com ênfase em frutos do mar. O ambiente, classudo e claro. Vá no jantar - o menu degustação mais barato sai US$ 135 para sete pratos, ou US$ 220 com vinhos.

Brasserie (100 E 53rd Street, tel.: 212/751-4840, de domingo a quinta: 11h/24h, sexta e sábado: 11h/1h. Cc: todos) É um exemplo de modernidade arquitetônica dentro de outro, o Seagram Building, que foi reformulado recentemente. Seu interior é decorado com telões e "paredes" tortas dividindo as mesas. O cardápio é o clássico de brasserie francesa - vai uma sopa de cebolas com queijo gratinado (US$ 12,50)?

Carnegie Deli (854 7th Avenue, tel.: 800/334-5606. Diariamente: 6:30h/4h) Mais uma das indefectíveis délis judaicas de Nova York. A Carnegie é célebre pelo sanduíche de pastrami, daqueles enormes, que dão quase para a família toda.

The Campbell Apartment (15 Vanderbilt Avenue, tel.: 212/953-0409, de segunda a sábado: 15h/1h, domingo: 15h/23h. Cc: A, M, V) Dentro da Grand Central Terminal, e bem escondido, o Campbell é lendário pelas festas e eventos sociais que reuniam a nata da sociedade nova-iorquina. Nas décadas de 20 e 30, era sede do escritório particular do magnata John Campbell, que conduzia negócios durante o dia e fartava a grã-finagem à noite. O espaço foi restaurado para acomodar o bar Grand Central.

Carmine's (200 W 44th Street, tel.: 212/221-3800. segunda: 11h30/23h, terça a sexta: 11h30/0h, sábados: 11h/0h, domingos: 11h/23h. Cc: todos) Restaurante familiar com porções gigantescas de massa e outros pratos com acento italiano que dão mesmo para dividir em três pessoas. O serviço é rápido e, apesar de estar sempre lotado, a espera não costuma ser longa. Talvez porque o lugar seja gigantesco. Colado nos teatros, é uma boa opção para antes ou depois de assistir ao Fantasma da Ópera.

City Bakery (3 W 18th Street, tel.: 212/366-1414, de segunda a sexta: 7h30/19h, sábados: 7h30h/18h30, domingos: 9h/18h; fecha 30 min mais cedo no verão. Cc: A, M, V) Numa cidade dominada pelas délis com comida requentada, a City Bakery é uma espécie de oásis. Seus balcões de comida por quilo transbordam pratos deliciosos, misturando temperos exóticos e ingredientes sazonais. O chocolate quente é a especialidade da casa.

Craft (43 E 19th Street, tel.: 212/780-
0880. De segunda a quinta: 17h30/22h, sexta e sábado: 17h30/23h, domingo: 17h/21h. Cc: todos) Quando inaugurado, em 2001, o Craft foi o precursor do estilo small plates que invadiu os cardápios de Manhattan. O menu do chef Tom Colicchio desmembra os pratos, com seções de vegetais, amido, carnes, peixes - cabe a cada um a recomposição, conforme preferência. Há quem torça o nariz, mas depois se renda ao frescor dos ingredientes e à competência no preparo. Atente para a bela iluminação da casa, com lâmpadas pendentes. E não perca as sobremesas.

Empanada Mama (763 9th Avenue, tel.: 212/698-9008. De segunda a sexta: 10:00 as 01:30, sábado e domingo: 10:30 as 01:30. Cc: todos) Não deixa nada a desejar para a típica empanada argentina. Só que você tem a opção de pedir o quitute com farinha de milho em vez de trigo. Além dos recheios, que não são nada ortodoxos: pizza, viagra (vieiras, carne de caranguejo e camarão) e Elvis (manteiga de amendoim e banana). A música é bem alta e o visual parece filme de Pedro Almodóvar.

Gramercy Tavern (42 E 20th Street, tel.: 212/477-0777. De segunda a quinta: 12h/14h e 17h30/22h, sexta: 12h/14h e 17h30/23h, sábado: 17h30/23h, domingo: 17h30/22h. Cc: todos) A equação não falha: alta gastronomia com atendimento impecável e uma atmosfera prazerosa. Subtraem-se esnobismos. O resultado é um restaurante popular, parte da rede do competente empresário Danny Meyer. Com a chegada do chef Michael Anthony, a cozinha american noveau ganhou inspiração - a lagosta defumada com pancetta é ótima.

Grand Central Oyster Bar (89 E 42nd Street, tel.: 212/490-6650. De segunda a sexta:11h30/21h30, sábado: 12h/21h30. Cc: todos) No subterrâneo da Grand Central, o Oyster Bar impressiona tanto por seu interior clássico, com bancos de couro no bar, quanto pela diversidade de ostras e qualidade dos frutos do mar em seu menu. Apesar de escondido em meio ao movimentado terminal, o antigo restaurante mantém o estilo de sua época dourada (foi fundado em 1913).

Gordon Ramsay at the London (151 W 54th Street, tel.: 212/468-8888. De sábado a quarta: 17h30/22h, quinta e sexta: 12h/14h30 e 17h30/22h. Cc: todos) Não contente com a fama na Europa, o chef inglês mudou para Nova York, trazendo consigo a culinária francesa que tanto dá inveja aos seus conterrâneos. Aqui, Ramsay é celebridade de reality shows - não se esperava menos do que o sucesso de sua casa no hotel London NYC. O menu Prestige, de 7 pratos, tem foie gras, vieiras, cordeiro e bacalhau: por US$ 135.

John's Pizzeria (260 W 44th Street, tel.: 212/391-7560. Diariamente das 11:30 as 23:30. Cc: A, M, V) A portinha esconde um lugarzão: uma antiga igreja que virou pizzaria. Assadas em forno a lenha, as pizzas de massa fina (cerca de US$ 16 a grande) são básicas: mussarela e tomate ou ricota e mussarela. Daí você acrescenta o que quiser - azeitona, cogumelo, espinafre, cebola (até carne moída!) e paga US$ 2,50 por ingrediente extra. Boa pedida para gastar pouco em Times Square, desde que se agüente o pouco-caso dos garçons.

Shake Shack (Madison Square Park, tel.: 212/889-6600. De março a outubro: 11h/23h, novembro a fevereiro: 11h/19h. Cc: A, M, V) O Shake Shack não só oferece um dos melhores hambúrgueres da cidade. É também um dos melhores pontos para se comer ao ar livre, localizado no Madison Square Park. Não tem muito segredo: típico menu americano com burgers, hot-dogs e milk-shakes, em esquema self-service. No verão, há fila.

Sullivan St. Bakery (533 W 47th Street, tel.: 212/265-5580) Se você estiver na região da Broadway, aproveite para fazer uma bela caminhada pela Rua 47 - é bom para gastar umas calorias antes de se jogar nas delícias com alto teor de carboidratos da Sullivan St. Bakery. As pizzas, vendidas em fatias, são só o começo, e a Bianca (azeite extravirgem, sal grosso e alecrim) é uma instituição na cidade. A padaria também vende sanduíches com recheios que fogem do lugar-comum (figo, presunto de Parma e hortelã), pães e doces italianos (como o budino di banana, um tipo de bolo). Com US$ 20, você enche uma sacolinha disso tudo e faz um piquenique inesquecível.

Aureole (135 West 42nd Street, tel.: 212.319.1660. Almoço: de segunda a sábado - 12:00 as 14:30, jantar: domingo a quinta - 17:00 as 22:30, sexta e sábado - 17:00 as 23:00. Cc: todos) Com um cardápio que abrange de coelho a foie gras, passando por sashimis e deliciosas massas, o Aureole, do chef Charlie Palmer, há duas décadas é considerado um dos melhores restaurantes da ilha. E nem por isso tem uma atmosfera esnobe. O menu degustação sai a US$ 115. Ligue antes de ir.

Big Nicks Burger and Pizza Joint (2175 Broadway, 212/362-9238. 24 horas. Cc: M, V) Quem entra neste lugar decorado com "memorabilia" estilo American Graffi tti, especializado em hambúrgueres e pizzas, não imagina que o dono seja um típico imigrante grego como os do fi lme Meu Casamento Grego. Nick fala sem parar e tem um temperamento difícil. Mas os burguers são suculentos. Se você quiser variar, não tem problema: o menu tem 28 páginas, com saladas, massas e pratos para gente grande.

Bouchon Bakery (10 Columbus Circle, Time Warner Center, tel.: 212/823-9366. De segunda a sábado: 11h30/21h, 11h30/19h - dom. Cc: A, M, V) Por menos de US$ 20 você pode escolher entre quiches, sopas, saladas e sanduíches assinados por um dos chefs mais badalados dos Estados Unidos de hoje: Thomas Keller. Para jantar em seu restaurante da Califórnia (The French Laundry) e no de Nova York (Per Se), é preciso desembolsar US$ 250 pelo menu degustação sem bebida, taxa, nada. Então, abstraia o shopping center que está ao seu redor e aproveite a comida como se fosse num restaurante três-estrelas. Boas pedidas são a quiche do dia, o sanduíche de vegetais no pão de grãos e, no pão campagne, a tartine de atum. Pena que você não viajou com o seu lulu: a Bouchon Bakery faz até biscoitos para cachorro com sabor de foie gras.

Central Park Boathouse (Central Park, próximo à Park Drive North e à 72nd Street, tel.: 212/517-2233. De novembro a meados de abril: segunda a sexta: 12h/16h, sábado e domingo: 9h30/16h. De meados de abril a novembro: segunda a sexta: 12h/16h, sabado e domingo: 9h30h/16h e 18h/21h30. Cc: todos) É possível que você se sinta em uma cena de filme neste restaurante. Afinal, ele está posicionado à beira de um dos lagos dentro do Central Park e tem mesinhas no deque ao ar livre. Os novos donos, que não são bobos nem nada, capricharam na renovação do cardápio, e a casa vem atraindo clientes por seus segredos culinários até há pouco tempo eles se interessavam só pela localização. Perfeito para um brunch preguiçoso aos domingos, superromântico. O cardápio é de cozinha internacional.

Celeste (502 Amsterdam Avenue, tel.:212/874-4559. De segunda a quinta das 17:00 as 23:00, sexta das 17:00 as 23:30, sábado do meio dia as 15:00 e 17:00 as 23:30, domingo do meio dia as 15:00 e 15:00 as 22:30) Até existem outras sugestões, como frango com amêndoa, mas o que provoca filas na frente deste apertado restaurante(que não aceita reservas) são mesmo as massas, várias preparadas diariamente pelo chef Giancarlo Quadalti. Por cerca de US$ 15, há vermicelli ao vôngole. Difícil é resistir às entradas, como as frituras de alcachofra e as de ricota de búfala. Não espere muito do serviço.

Community Food and Juice (2893 Broadway, tel.: 212/665-2800. De segunda a sábado: 8h/15h30 e 18h/23h, domingo: 9h/22h . Cc: A, M, V) Uma das melhores aquisições recentes da cena gastronômica "boa e barata" nova-iorquina. O forte desta meca orgânica é o café-da-manhã com panquecas de blueberry, omeletes e granola. No almoço e jantar, vá de batatadoce frita, bowls de arroz integral com vegetais e frango de granja. Mais os sucos feitos na hora.

Daniel (60 E 65th Street, tel.: 212/288-0033. De segunda a sábado: 17h45/23h. Cc: todos) Um dos chefs mais aplaudidos de Manhattan, Daniel Boulud reinventa clássicos da culinária francesa com sabedoria e os executa à perfeição, com os melhores ingredientes. Com menus sazonais, espere pratos como lagosta com trufas negras no inverno e carne de caranguejo com abacate no verão. O menu degustação custa US$ 175 com seis serviços e US$ 195 com oito serviços. O ambiente é luxuoso, com arcos e colunas, veludos e lustres clássicos. Homens devem estar de blazer, ao menos, muitos vão de gravata.

Dylan's Candy Bar (1011 3rd Avenue, tel.: 212/646-735-0078. De segunda a quinta:10h/21h, sexta e sábado: 10h/23h, domingo: 11h/20h.) Cc: A, M, V.) O sonho de toda criança e de muito adulto também. Imagine entrar em uma loja e encontrar um bar de sorvetes cujas mesinhas são decoradas com balas. Pois é só o começo da experiência de quem visita a loja/lanchonete concebida por Dylan Lauren (filha de Ralph Lauren) e Jeff Rubin (da famosa loja de brinquedos F.A.O. Schwarz). Vende todos os tipos imagináveis de balas, chocolates e também tem uma linha de sais de banho delirantes e velas de chocolate. É bom avisar que esses últimos não são comestíveis.

Gaisha (33 E 61st Street, tel.: 212/813-1112. De segunda a sexta: 12h/15h30 e 17h30/23h30, sábado: 17h30h/23h30. Cc: todos) Restaurante japonês moderníssimo, tanto no menu (elaborado por Eric Ripert, do Le Bernardin) como na decoração (assinada por David Rockwell). Fica difícil saber em que prestar atenção, se nos origamis em forma de pássaros presos no teto ou em delícias como os espetinhos à base de camarão, gengibre e açúcar.

Good Enough to Eat (483 Amsterdam Avenue, tel.: 212/496-0163. De segunda a quinta: 8h/22h30, sexta: 8h/23h, sábado: 9h/23h, domingo: 9h/22h30. Cc: A, M, V) "Bom o suficiente para comer", diz o nome. Parece lema de uma avó ranzinza, mas o clima aqui é da casa de uma avó muito fofa. A decoração é de motivos campestres e a comida é do tipo reconfortante: panquecas, waf-fles e macarrão com queijo (mac&cheese). O brunch aos domingos lota.

Gray's Papaya (2090 Broadway, tel.: 212/799-0243. Diariamente 24 horas) Cachorro-quente com drinque de papaia. A combinação inusitada, quem diria, é um dos hits nova-iorquinos há mais de três décadas. Duvida? Há mais dois endereços na cidade. Prefira a filial do Upper West Side, a mais famosa. Por menos de US$ 5 você leva dois hotdogs e um suco de papaia que (pra falar a verdade) tem gosto de água de banheira de dois dias, mas mesmo assim funciona como bom digestivo. Ignore as cópias como Papaya King e Chelsea Papaya. O Gray's é o oficial.

Del Posto (85 10th Avenue, tel.: 212/497-8090, segunda e terça: 17h/23h, quarta a sexta: 12h/14h e 17h/23h, sábado: 16h30/23h, domingo: 16h30/22h; Cc: A,M, V) Restaurante duas estrelas no guia Michelin.

Picholine (35 W 64th Street, tel.: 212/724-8585; de segunda a quinta: 17h/22h, sexta e sábado: 17h/23h45, domingo: 17h/21h; Cc: todos) Restaurante duas estrelas no guia Michelin Momofoku Ko (163 1st Avenue, sem telefone, momofuku.com; 18h/20h20 qua. a seg.; Cc: todos) Mais um restaurante do chef David Chang, no East Village, inspirado no conceito do okomase menu degustação que o chef monta. Em vez de refeições de US$ 400, como no Masa, tem um menu com 10 minipratos a US$ 85. As reservas são concorridíssimas, e só pela internet.

Jean Georges (1 Central Park West, tel.: 212/299-3900. segunda a sexta: 12h/14h30 e 17h30/23h, sábado: 17h15/23h. Cc: todos) Com 16 restaurantes espalhados pelo planeta, metade deles em Nova York, o restauranteur Jean-Georges Vongerichten é reconhecido como um dos mais talentosos de sua geração. Seu Jean Georges, inaugurado em 1997, é sinônimo da culinária surpreendente desse chef alsaciano. Entre os pratos do menu degustação mais caro - a US$ 148, para sete serviços - estão tartine de lagosta com sopa de ervilha e sopa de alho com tomilho e pernas de rã. Impecáveis. O salão é claro e a decoração, de encher os olhos. Sucesso absoluto de crítica.

Jojo (160 E 64th Street, tel.: 212/223-5656. De segunda a quinta: 11h30/16h e 17h30/22h30, sexta e sábado: 11h30/16h e 17h30/23h, domingo: 11h30/16h e 17h30/22h. Cc: todos) Outro restaurante que fez história, inaugurando a série de casas aclamadas que compõem o império do chef estrela Jean-Georges Vongerichten. Agrada aos paladares dos nova-iorquinos com pratos franceses, deliciosos molhos e sobremesas. O famoso petit gâteau assinado pelo dono foi criado ali.

Masa (10 Columbus Circle, 4o andar, tel.: 212/823-9800. De segunda a sábado: 18h/21h, terça a sábado: 12h/13h30 e 18h/21h. Cc: A, M, V) Ainda que pequenino, é considerado o restaurante mais caro da cidade. E ainda assim não faltam gourmets na fi la para pagar os US$ 400 do jantar estilo omakase (degustação), com mais de 20 (pequenos) serviços, a maioria sushis. Ingredientes caríssimos e raros, manipulados com técnica, arte e cerimônia pelo próprio chef Masa Takayama detrás do balcão são as estrelas da experiência. Atente também para o sukiyaki de carne kobe e o foie gras preparado no pote shabu-shabu. Há que reservar com pelo menos um mês de antecedência e só vale sentar no balcão. O Masa Bar, ao lado, não exige reserva e tem preços mais amigáveis.

Nougatine (1 Central Park West, tel.: 212/299-3900. Abre de segunda a sexta: 7h/11h, 12h/15h e 17h30/23h. Cc: todos) Divide a cozinha e o corredor de entrada com o Jean Georges. E é onde se podem experimentar as criações surpreendentes do chef por um preço muito mais acessível. Serve um concorrido brunch aos domingos.

Payard Patisserie & Bistro (1032 Lexington Avenue, tel.: 212/717-5252. De segunda a quinta: 12h/15h e 17h45/22h30, sexta e sábado: 12h/15h e 17h45/23h. Horário de chás: de segunda a sábado: 15h30/17h. Cc: todos) O chef francês François Payard, um velho conhecido dos paulistanos (tem uma filial na cidade), se dá o luxo de focar seu talento apenas nas deslumbrantes sobremesas do seu restaurante. O colega Philippe Bertineau é quem prepara os pratos principais à altura. O chá da tarde é popular entre as madames do Upper East, e os mini-sanduíches e docinhos não ficam atrás.

Per Se (Time Warner Center, 10 Columbus Circle com 60th Street, 4o andar, tel.:212/823-9335. De segunda a quinta: 17h30/21h, sexta a domingo: 11h/13h e 17h30/21h. Cc: A, M, V) O chef Thomas Keller tem a fama de comandar o melhor restaurante dos EUA, o French Laundry, em Napa Valley. E sua casa em NY, o Per Se, três estrelas no guia Michelin, não fica por baixo. Nenhuma refeição ali dura menos de duas horas. O menu degustação de nove serviços muda diariamente e traz pratos como seu emblemático tartar de salmão, ostras e caviar, sempre perfeitos. Fica num shopping, o Time Warner Center, e tem um ambiente formalíssimo, silencioso. Ainda assim, os clientes têm ânimo de esperar semanas por uma reserva, vestir-se com pompa e pagar US$ 275 (com serviço incluído) pelo menu. Saem satisfeitos. A vista para o Central Park é outro ponto forte.

Sushi of Gari (402 E 78th Street, tel.: 212/517-5340. Terça a sábado: 17h/22h45, domingo: 17h/21h45. Cc: todos) A competição entre os restaurantes japoneses na cidade é acirrada, mas o chef Masatoshi Sugio ganha holofotes sempre que abre um restaurante. O Sushi of Gari é seu terceiro e, ainda que seja arrumadinho e clean, não tem pretensão ultracool. Estão lá o balcão clássico do sushiman e as mesas simples onde podem ser degustados cerca de 130 tipos de sushi. Peixe marinado em saquê, maionese de tofu e sushi "flambado" são apenas algumas das criações de Gari.

Zabar's (2245 Broadway, 212/787-2000. De segunda a sexta: 8h/19h30, sábado: 8h/20h, domingo: 9h/18h. Cc: A, M, V.) Instituição gourmet do Upper West Side, o Zabar's tem de tudo e do melhor. É uma déli e empório com vastas seleções de queijos, azeitonas, peixes, foie gras (com trufas, por exemplo), pastramis, cafés, chás, pimentas etc. Utensílios de cozinha também estão nas prateleiras. Nas mesas, sanduíches e massas frescas feitas no dia.

Amy Ruth's Southern Cuisine (113 W 116th, tel.: 212/280-8779. De domingo a quinta: 7h30/23h e sexta e sábado: 24h. Cc: todos) Se você nunca teve uma avó do sul dos EUA, então tem que experimentar a soul food culinária cantada até por James Brown deste tradicionalíssimo restaurante no coração do Harlem. Amy Ruth, avó do dono, que chegou do Alabama em NY carregando 10 filhos no colo, morreu antes de o restaurante ser fundado, em sua homenagem. Mas seu espírito está para lá de vivo nas receitas clássicas como as asas de frango com waffles. Ótimas costelas e couve, e uma freqüência !da gema!, completam a cena. Às sextas e sábados, vira point boêmio. Serve também café-da-manhã.

Edmond's (286 Lenox Avenue, tel.: 212/410-4277. Diariamente: 10:00 as 01:00. Cc: M, V.) Um balcão, algumas mesinhas, um leve cheiro entorpecente de gordura no ar. Quem olha este buraco perto da 125th Street, não imagina que lá dentro há delícias por menos de 10 dólares que vão deixar você de barriga cheia pelo resto do dia. Você escolhe a proteína, que pode ser bolo de carne de peru, frango assado ou rabada, por exemplo, e dois acompanhamentos. Tem ótimo pão de milho. Mais clima de boteco e cerveja gelada.

Dinosaur Bar B Que (646 W 131st Street, tel.: 212/694-1777. De terça a quinta: 11h30/23h, sexta e sábado: 11h30/24h e domingo: 12h/22h - dom. Cc: todos) Tem pinta de clássico americano, tipo joints de estrada, com o famoso barbecue texano. Com direito a paredes de madeira envelhecida e garçonetes sem muita paciência. Fica debaixo da ponte Riverside Drive, o que por si só vale um passeio. Serve muita carne de porco e frango, e acompanhamentos tradicionais como mac&cheese e feijão.

Native (161 Lenox Avenue, tel.: 212/655-2525, de domingo a quinta: 11h/23h, sexta e sábado: 11h/0h. Cc: A, M, V) Tem um badalado brunch aos domingos, com temperos marroquinos e caribenhos. Aqui a comida é mais leve do que as frituras comuns nas redondezas: os grelhados são ótimos.

Rao's (455 E 114th Street, tel.: 212/722-6709. De segunda a sexta: 19h/23h.) O restaurante com a lista de espera mais longa de Nova York não é nenhum templo da culinária francesa ou point ultracool. Trata-se desta pequenina casa que serve autêntica comida napolitana e tem 10 mesas, ocupadas apenas uma vez por noite. É adorado na vizinhança e, bem ao estilo Poderoso Chefão, mantém reservas permanentes para alguns clientes. Vende seus deliciosos temperos à parte.

Settepani (196 Lenox Avenue, tel.: 917/492-4806. De segunda a sexta: 6h30/23h, sábado e domingo: 7h/0h.) Perfeito para quando bate a fome entre uma comprinha e outra, o descolado café Settepani é especialista em paninis e quiches.

Sylvia's Soul Food (328 Lenox Avenue, tel.: 212/996-0660. De segunda a sábado: 8h/22h30, domingo: 11h/20h. Cc: todos) A culinária caseira de Sylvia Woods, conhecida como a rainha da comida soul, continua com os mesmos temperos e tradições herdadas de sua mãe, nas fazendas da Carolina do Sul. Ainda como uma pequena lanchonete, o Sylvia's foi aberto em 1962. Hoje, é apenas parte da empresa, que engloba desde serviços de bufê a edição de livros de culinária. As principais receitas são as costelas de porco e o camarão frito.

Bliss Café (191 Bedford Avenue, Williamsburg, tel.: 718/599-2547. De segunda a sexta:9h/23h, sábado e domingo: 10h/23h.) Vegetariano de porções generosas, é a perfeita tradução da Bedford Avenue, espinha dorsal de Williamsburg: público que veste óculos maiores que as calças, clima de café de beira de estrada do meio-oeste americano (móveis gastos de madeira multicoloridos) e menu ecoconsciente, com ótimos pratos à base de tofu e grãos.

Dumont Burger (14 Bedford Avenue, Williamsburg, tel.: 718/384-6127. 11h/14h. Cc: M, V) Filial do bem-sucedido restaurante DuMont, também em Williamsburg, é um dos melhores hambúrgueres da cidade, sobretudo na versão mini que vem em pão ciabatta. Para acompanhar, um mac&cheese (macarrão com queijo) memorável que leva gruyère e cheddar.

Dumont (432 Union Avenue, tel.: 718/486-7717. De segunda a quinta: 11h/15 e 18h/11h, sexta: 11h/15h e 18h/0h, sábado: 18h/0h - sáb.) O menu muda sempre, os preços são baixos e o público é jovem. Vá de steaks, mac&cheese (US$14) ou risotos, e arremate com um prato de queijos (US$ 10). No verão, as mesas no jardim são as melhores. E agora eles aceitam reserva porque as filas na porta eram grandes. Sábado e domingo tem brunch, das 11h às 15h.

Egg (135 North 5th Street, tel.: 718/302-5151. Segunda e terça: 7h/15h, quarta a sexta: 7h/15h e 18h/22h, sábado e domingo: 8h/14h e 18h/22h.) Favorito dos moderninhos que povoam a área de Williamsburg, este point para cafés-da-manhã no melhor estilo sulista é um hit. Pense em panquecas tamanho família, canjica e frango frito com couve. A espera é longa, mas vale a pena. Para garantir um lugar, você escreve seu nome numa lousa e pode ir passear pelas lojinhas da Bedford Avenue dobrando a esquina. O serviço é um tanto atrapalhado, mas, para a distração, as mesas têm toalha de papel e giz de cera para você brincar.

Franny's (295 Flatbush Avenue, Park Slope, tel.: 718/230-0221. De segunda a quinta: 17h30/23h, sexta: 17h30/23h30, sábado: 12h/23h30, domigno: 12h/22h. Cc: M, V) Idealizado pelo jovem casal Andrew e Francine, além de servir a melhor pizza da cidade e daquelas de verdade, nada das redondas massudas da decadente Little Italy guiase por princípios ecológicos e de sustentabilidade (uso de produtos orgânicos, comprados de produtores locais na época certa, reuso da gordura de cozinha, cardápio de papel reciclado etc). Massas feitas à mão e sobremesas caseiras como panna cota enriquecem o saboroso menu.

Habana Outpost (757 Fulton Street, Fort Greene, tel.: 718/858-9500. Quarta a segunda: 12h/24h.) A filial do Café Habana em Nolita também serve menu de comida cubana, inclusive o famoso milho no palito, em simpáticas mesas com bancões de madeira. Os donos afirmam que o restaurante no Fort Greene é o primeiro de Nova York a ser chamado eco-eatery, ou seja, foi projetado, construído e é operado com consciência ambiental verdade ou não, é uma rixa do bem.

Jacques Torres Chocolate (66 Water Street, Dumbo, tel.: 718/875-9772. De segunda a sábado: 9h/19h, domingo: 10h/18h. Cc: A, V) O francês Jacques Torres nasceu na Provence francesa, mas foi fazer sucesso em Nova York, quando passou a cuidar das sobremesas do restaurante lenda dos anos 90, o Le Cirque. Hoje participa de programas de tevê e dirige duas fábricas de chocolate, uma no Brooklyn e outra em Manhattan. Nesta lojinha há prateleiras recheadas de chocolates artesanais, cafés e croissants. Não tem lugar para sentar, mas isso se torna supérfl uo depois de comer o cookie aquecido que derrete pelo seu corpo inteiro por no mínimo uma semana.

Junior's (386 Flatbush Avenue Extension, tel.: 718/852-5257, Fort Greene. De domingo a quarta: 6h30/24h, quinta: 6h30/1h, sexta e sábado: 6h30/2h. Cc: todos) A sobremesa oficial da ilha é o cheesecake e, desde 1950, o Junior's é a autoridade no assunto, confeccionando também variações da receita original. O menu é enorme, farto em sanduíches e pratos caseiros americanos como o meatloaf (bolo de carne).

Peter Luger's Steakhouse (178 Broadway, Williamsburg, tel.: 718/387-7400. De segunda a quinta: 11h45h/21h45, sexta e sábado: 11h45/22h45, domingo: 12h45/21h45.) Haja tradição. Há mais de 120 anos esta casa serve o melhor steak da região, sob direção da quarta geração de mulheres da mesma família. Os gigantescos bifes escolhidos a dedo todos os dias vêm à mesa com acompanhamentos caseiros, como salada de tomates frescos, batata frita e creme de espinafre.

The River Café (One Water Street, tel.: 718/522-5200. De segunda a sábado: 12h/15h e 17h30/23h, domingo: 11h30/15h - dom. Cc: A, M, V) Famoso pela vista insuperável do skyline de Manhattan, contemplado por debaixo da ponte do Brooklyn, é também um dos jantares mais românticos de Nova York (imagine todas as luzes da cidade à sua frente, pelos janelões). De quebra, sua cozinha "incuba" grandes chefs da ilha há mais de trinta anos. Entre os itens obrigatórios do menu de sotaque francês e mediterrâneo está a sobremesa Chocolate Marquise Brooklyn Bridge, que vem com uma miniatura de chocoa famosa ponte.

Tao (42 E 58th Street, tel.: 212/888-
2288. Segunda e terça: 11h30/0h, quarta a sexta:11h30/1h, sábado: 17h/1h, domingo: 17h/0h. Cc: todos. Um restaurante para ver e ser visto. Para conversar, comer bem, dançar, circular pelos diversos ambientes e paquerar. Frequentado por astros de cinema e da música, é a cara de Samantha, desinibida executiva de relações públicas que adora conhecer novos homens. As quatro amigas passaram uma noite ótima no lugar, que culminou em mais um dos reencontros de Carrie e Mr. Big. O cardápio asiático inclui um elogiado pato de Pequim (US$ 31), 16 tipos de saquê e diversos drinques especiais a US$ 12,50, incluindo o Cosmopolitan, favorito das moças da série. O menu executivo, só para almoço, sai a US$ 24.

Magnolia Bakery (401 Bleecker Street, 212/462-2572, West Village. Segunda: 12h/23h30, terça a sexta: 9h/23h30, sábado: 10h/0h, domingo: 10h/23h30. Cc: todos): as quatro mulheres eram loucas por cupcakes, bolinhos individuais com uma generosa cobertura cremosa e açucarada, especialidade da Magnolia. Na vida real, esta padaria chique tem fi la na porta dia e noite. Tudo pelos bolinhos (US$ 2,25 cada), que podem vir cobertos de chocolate, baunilha, merengue, café, creme de ovos e até cream cheese. A procura é tanta que há um limite de consumo: 12 cupcakes por pessoa. Foi aberta uma filial na 200 Columbus Avenue, em Upper West Side.

Monkey Bar (MIDTOWN, 60 E 54th Street, tel.:212/838-2600. De segunda a quinta: 12h/
1h, sexta e sábado: 12h/2h, domingo: 17h/0h. Cc: todos) - com fantásticos murais japoneses que cobrem as paredes, o bar é a cara do ferrenho solteirão Big: elegante e estiloso, quase antiquado. Aberto nos anos 30, faz jus ao charme desses tempos e investe em drinques como o Perfect Manhattan (US$ 10). Prove a lagosta apimentada e linguiças chinesas em ninho de batata yukon, a US$ 28.

Starbucks Coffee - 1460 Broadway, New York. Tel.: (212) 869-0191, 1378 Madison Avenue, New York. Tel.: (212) 534-7225. Existe milhões espalhadas pela cidade, o meu preferido é o Cappucino!

Sbarro - Um lugar bem legal, tem pizzas, massas e um self-service. Não é a melhor comida de New York, mas para um almoço rápido. Tem em diversos lugares de New York, eu ia no que é próximo ao Empire State. Também serve café da manhã.

Não deixe de ir a Godiva (GODIVA BOUTIQUE - Times Square, Broadway at 41st Street
1460 Broadway New York, NY 10036 - tel.: 212 840-6758). Dizem que um dos melhores sorvetes é "Vanilla with chocolate Caramel Hearts". Pena que soube dele só agora, da próxima vez que for, posto aqui minha dica! Aproveite os chocolates que são deliciosos!!

Alguns endereços de onde você encontra alguns Cheese Cake:
Andre’s Hungarian Bakery: 10028 Queens Boulevard, Flushing - (718) 830-0266

Cascon Cheesecakes: 704 149th Street, Whitestone, Queens - (718) 767-5700

D’Aiuto’s Pastry Corporation: 873 8th Avenue - (212) 564-7136

Eileen’s Special Cheesecake: 17 Cleveland Place - (212) 219-9558

Fairway: 2127 Broadway - (212) 537-0031

Helen’s Fabulous Cheesecake: 126 Union Street, Brooklyn - (718) 722-7691

Lady M Cake Boutique: 41 East 78th Street - (212) 452-2222

Maxie’s Delicatessen: 723 7th Avenue - (212) 398-1118

Monteleone’s: 355 Court Street (President Street), Carroll Gardens, Brooklyn - (718) 624-9253

Monte’s Venetian Room: 451 Carroll Street, Carroll Gardens, Brooklyn - (718) 624-8984

Mona Lisa Pastry Shoppe & Cafe: 1476 86th Street, Brooklyn - (718) 837-9053

S & S Cheesecake: 222 West 238th Street, Kingsbridge, Bronx - (718) 549-3888

Two Little Red Hens: 1652 Second Avenue - (212) 452-0476

Yura & Company: 1659 Third Avenue - (212) 860-8060

Zabar’s: 2245 Broadway - (212) 787-2000


Onde comprar

Canal Street: o trecho entre a Broadway e a Centre Street é famoso no mundo inteiro por suas bolsas falsas que imitam com perfeição as marcas da moda. A polícia tem aumentado o cerco aos camelôs e agora muitos abordam os turistas com fotos das bolsas em vez de expor a mercadoria em si. Mas não só de mentirinhas sinceras vive Chinatown.

Pearl Paint (308 Canal Street, tel.: 212/431-7932; de segunda a sexta: 9h/19h, sábado: 10h/19h, domingo: 10h/18h; Cc: todos): para artistas do pincel, amadores e profissionais, tem preços imbatíveis.

Kam Man Food Products (200 Canal Street, tel.: 212/571-0330; Diariamenete: 08:30h/20:45h): para quem quer comprar autênticos produtos chineses.

Oriental Books & Stationery Co (29 East Broadway, tel.: 212/608-7848; 7h30/ 19h): banca de jornal que vende divertidos tablóides e revistas de fofoca em mandarim.

Great World Inc. (32 East Broadway, 212/337- 7522; 8h/20h): fica num porão e tem mais de mil títulos de kung fu.

Century 21 (22 Cortland Street, tel.: 212/227-9092. De segunda a quarta: 7h45/20h, quinta e sexta: 7h45/21h30, sábado: 10h/21h, domingo: 11h/20h. Cc: todos): ponta de estoque de grifes que equivale a um passeio ao Woodbury, o outlet mais conhecido dos brasileiros em Nova York, em frente ao Ground Zero, é uma megaloja de departamentos onde comprar mimos e extravagâncias de Versace, Marc Jacobs, Miu Miu, Missoni etc. Suas remarcações de preços com até 75%off atraem hordas. A maioria dos itens é de coleções passadas, mas as filas no caixa e provadores continuam longas sábados e hora do almoço são a rush hour.

The Dreesing Room (75 Orchard Street, tel.: 212/966-7330. Terça, quarta e domingo: 13h/24h, quinta a sábado: 13h/2h. Cc: todos): um só lugar em Lower East Side para beber e comprar roupas exclusivas. Bacanão como tudo o que está se instalando no pedaço. Aqui, cada arara de loja é tomada por peças de um estilista diferente que tem que dar a vez e o espaço a outro depois de alguns meses. E é sempre gente nova no mercado fashion. Você também pode levar suas peças vintage de casa para trocar por dinheiro ou tíquetes de bebidas do bar. Tudo aberto até a madrugada.

Exstaza: Vende moda barata que copia o visual das vitrines de lojas de marca do Soho. Não espere encontrar o vestido da sua vida, mas é ótima para sanar os impulsos consumistas depois de bater perna um dia inteiro pelo bairro. Tem bons vestidos para o verão e jeans na faixa dos US$ 50. 491 Broadway, 212/925-8193. De segunda a sábado:10h/21h, domingo: 10h/20h. Cc: todos.

Diesel (135 Spring St., tel.: 212/625-1555. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h,. Cc: todos): um par dos jeans mais desejados pelos brasileiros desde que a marca chegou ao país cobrando mais de R$
1.000 por uma calça, não passa dos US$ 300 nos Estados Unidos. Por US$ 200, dá pra escolher vários dos quase 100 modelos disponíveis. Faça a festa nesta loja do Soho e aproveite os conhecimentos do staff sobre jeans. Não perca também as bolsas e sapatos. Em janeiro e julho, então, há promoções imperdíveis.

Diesel Denim Gallery (68 Greene St., tel.: 212/966-5593. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): o endereço para achar os modelos de jeans (e casacos, camisetas, jaquetas) de séries limitadas da marca Diesel, além de roupas feitas à mão. Espere desembolsar ao menos US$ 400 por uma calça.

Honey in the Rough (161 Rivington Street, tel.: 212/228-6415. De segunda a sábado: 12h/20h, domingo: 12h/19h, dom. Cc: todos): para quem quer investir num vestido de festa bem feminino e sem excessos, esta loja no Lower East Side é a opção na medida. Muitas estampas e cores, além de um ar jovial, enfeitam as criações de modelagem moderna. Custam em média US$ 400 mas dá para achar sonhos de consumo da estilista japonesa Tsumori Chisato na casa dos US$ 700 (nas promoções). Vende algumas peças de Alexandre Herchcovitch. Tem serviço de maquiagem grátis com os cosméticos personalizados SCO ou da marca Bésame.

Kate Spade (454 Broome Street, tel.: 212/274- 1991. De segunda a sexta: 11h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): bolsas e sapatos femininos em modelos clássicos e com um toque moderno: essa é a receita de sucesso da badalada designer Kate Spade. Há uma predileção por detalhes geométricos e materiais nobres nos acessórios. Artigos para casa, óculos e papelaria de luxo também ocupam as prateleiras desta elegante casa do Soho.

Kirna Zabete (96 Greene Street, tel.: 212/941-9656. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): a decoração da loja diz bastante a seu respeito. Há espaços amplos, muito branco e poucos móveis de design coloridos e de personalidade. Vê-se logo que o trunfo desta butique do Soho é sua seleção esperta de vestidos assinados (de Chloé e Balenciaga ao rock'n'roll Rick Owens) mais sapatos, botas e jeans moderninhos. Até bebê e cachorro têm direito a "looks fashion! nas prateleiras da Kirna.

Moss (150 Greene Street, tel.: 212/204-7100. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h, dom. Cc: todos): a loja é famosa pelos produtos para casa com design de vanguarda, sempre expostos em prateleiras ou caixas de vidro sobre paredes branquíssimas. Como num museu. Móveis, louças, talheres, objetos decorativos, relógios, jóias são assinados por ícones do design europeu do passado, como Osvaldo Borsani, ou por contemporâneos na crista da onda, como os brasileiros irmãos Campana.

Other Music (15 E 4th Street, tel.: 212/477-8150. De segunda a sexta: 12h/21h, sábado: 12h/20h e domingo: 12h/19h. Cc: todos): fanáticos por música ou DJs de fim de semana vão passar horas nesta loja do Noho que é hit dos profi ssionais do ramo. Arremate CDs de bandas quentes do indie rock ou as mais exóticas batidas eletrônicas da Ásia, passando por coisas estranhas que vale a pena escutar. Os vendedores são experts.

Pearl River Mart. Loja de departamentos de três andares que é a meca dos produtos baratos com acento chinês. Vende desde necessários acessórios de cozinha até alguns mimos que você só acha aqui, e pela metade do preço de outros lugares: sapatilhas de cetim, vestidos no melhor estilo concubina, jogos de chá diferenciados e gaiolas de bambu. Por duas décadas, ocupou um endereço em meio ao caos da Canal Street em Chinatown. Hoje, no Soho, ficou mais agradável. Atente ao café que vende chás exóticos. 477 Broadway Street, tel.: 212/431-4770. Diariamente: 10h/19h20. Cc: todos.

Sephora (555 Broadway, tel.: 212/625-1309. De segunda a sábado: 10h/20h, domingo: 11h/19h. Cc: A, M, V): a superloja de maquiagem e produtos de beleza é uma das redes mais bem-sucedidas na Europa. É um mundo em si, onde você compra e testa tudo o que se possa imaginar em termos de beleza: prateleiras com todas as cores, cheiros e embalagens possíveis. E as várias lojas da Sephora em NY são lindas cuidado para não perder a tarde inteira ali.

Sigerson Morrison (28 Prince Street, tel.: 212/219-3893. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: A, M, V): sandálias e sapatilhas amadas pela garotas bem-nascidas de Manhattan ficam expostas em pequenas mesinhas no meio desta loja de Nolita. A maioria dos modelos tem boa variedade de cores - espere pagar US$ 300 por uma rasteirinha. Há bolsas interessantes também.

Supreme (274 Lafayette Street, tel.:212/966-7799. 11h30/19h, seg. a sáb, 12h/18h, dom. Cc: todos): paraíso de skatistas há mais de uma década, a Supreme vende tudo o que se pode imaginar em equipamentos de ponta para o esporte, além de uma linha própria de roupas e coleções limitadas de tênis, como a série Nike SB. É praxe haver uma megaliquidação no mês de agosto, todo ano.

Taschen (107 Greene Street próximo à Prince Street, tel.: 212/226-2212. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/19h, dom. Cc: A, M, V): quando um pit-stop cultural for necessário em meio às tentações fúteis das vitrines do Soho, tente a loja ultracool da editora Taschen. Lotada de lindos livros de arte, arquitetura, fotografia, moda e tudo o que é estético. Um toque brasileiro: a artista plástica Beatriz Milhazes fez os painéis coloridos das paredes. O público intelectual/fashion que não sai de lá prova a genialidade de Benedikt Taschen, o homem que transformou seu negócio de venda de gibis usados em império de publicações.

Tribeca Issey Miyake (119Hudson Street com North Moore, tel.: 212/226-0100. De segunda a sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: A, M, V): as roupas cheias de tecnologia das várias marcas do veterano estilista japonês Issey Miyake são vendidas em sua flagship store em Tribeca. Os famosos relógios e perfumes também estão lá. Dentro do prédio de fachada histórica estilo Cast Iron, de ferro retorcido, a decoração é dramaticamente futurista, cheia de esculturas de titânio saindo do teto e das paredes.

Uniqlo (546 Broadway Street, tel.: 917/237-8800. De segunda a sábado: 10h/21h, domingo: 11h/20h. Cc: todos): a Uniqlo é uma espécie de Gap japonesa. Tem ótimas roupas "pra bater" no dia-a-dia e também opções transadas para uma festinha mais ajeitada. Só não espere que a calça cáqui vá durar para o resto da vida: você leva o preço que paga (quase nada chega aos US$ 100). Mas tudo é organizado e com ambientação clean. Os destaques são os cashmeres vindos da Mongólia e o jeans.

C.O. Bigelow Chemists (414 6th Avenue, tel.: 212/473-7324. De segunda a sexta: 7h30/21h, sábado: 8h30/19h, domingo: 8h30/17h. Cc: A, M, V): o que um bálsamo antiestresse feito com ervas peruanas e velas aromáticas elaboradas por John Galiano têm em comum? Para os novaiorquinos, a resposta é fácil: são dos incontáveis produtos malucos que você encontra na Bigelow, a mais antiga farmácia de manipulação dos EUA. Existe desde 1838 e sempre vendeu medicamentos, loções e cosméticos "alternativos" para clientes ilustres, como a família do presidente americano Franklin Roosevelt.

Eye Candy (329 Lafayette Street perto da Houston Street, tel.: 212/343-4275. Diariamente: 12h/20h. Cc: A, M, V): lojinha lotada de acessórios vintage e bugigangas, que transbordam da vitrine sob um chamativo toldo vermelho. É o destino das patricinhas em busca daquela peça que, em princípio, ninguém mais tem - sejam elas bolsas, sapatos, óculos, relógios, chapéus, jóias ou enfeites.

Flight 001 ( 96 Greenwich Avenue, tel.: 212/989-0001. De segunda a sexta: 11h/20h30, sábado: 11h/20h, domingo: 12h/18h. Cc: todos) Um viajante convicto realizará todos os seus sonhos nesta loja. Há produtos pensados para cada detalhe da difícil arte de arrumar malas e cair na estrada. Dentre eles, porta-sapatos especiais, nécessaires transparentes e sacadas bem-humoradas como um identificador de malas decorado com palavrões, o obscenity belt..

French Connection (700 Broadway, tel.: 212/473-4486. De segunda a sábado: 10h/21h, domingo:10h/21h. Cc: A, M, V): com vários endereços espalhados pela cidade, a loja tem nome francês mas é de origem inglesa. Vende roupas femininas e masculinas descontraídas, com toques mais elegantes.

Kido (123 W 10th Street, tel.: 212/366-5436. De segunda a quinta: 10h/19h, domingo: 11h/18h (dom.). Cc: A, M, V): sua fundadora, Lisa Mahar, saiu pelo mundo atrás de brinquedos que se destacassem pelo design e que ainda fossem educativos, de acordo com a fi losofi a da educadora Maria Montessori. O resultado de sua peregrinação é uma loja bonita e recheada de produtos que têm como objetivo divertir e estimular a inteligência das crianças. Alguns deles são mais caros do que a média.

Kiehl's (109 3rd Avenue, tel.: 212/677-3171. De segunda a sexta: 10h/20h, domingo: 12h/18h. Cc: A, M, V): com mais de um século e meio de existência, passou de farmácia a loja especializada em produtos para pele e cabelo. Criou e manteve tal tradição sem sair do endereço original, e é famosa também pelas generosas amostras grátis distribuídas por seus atenciosos funcionários. Os preços não são dos mais baixos.

Love saves the day (119 2nd Avenue, tel.: 212/228-3802. Diariamente: 12h/21h. Cc: todos): se você só tiver tempo para um dos muitos brechós do Village, que seja este. O forte não são roupas de design com desconto, mas uma parafernália kitsch que você só acha aqui: bonecas Barbie com rosto da Liza Minelli, revistas Playboy vintage e roupa de marinheiro são só um pouco do acervo que faz a festa dos fashionistas e jovens de espírito.

Marc Jacobs (385 Bleecker Street, tel.: 212/924-6126. Diariamente: 12h/22h. Cc: todos): Marc Jacobs, sua vanguarda e rebeldia, estão em três lojas na chique Bleecker Street. Além da original, mais cara, palco para os desejados acessórios, tem as Marc que vendem roupas mais descoladas e a preços mais acessíveis: para mulheres, no no 403, e para homens, no no 382.

Patricia Field. A megaloja da designer que se tornou mundialmente conhecida com a série Sex and the City (Patricia criava o fi gurino das atrizes) vende de acessórios a maquiagem, de marcas como Jun Nakayama ou dela própria. Tem um departamento só dedicado a lingerie de noivas. Está na 302 Bowery (Between E Houston & Bleecker) Streets), tel.: 212 966.4066.

Village Cigars - Village Cigars é um marco do East Village. É muito fotografada, na esquina da 7th Avenue com a Christopher Street, mas não passa de mais uma típica bodega nova-iorquina onde você encontra cigarros (muita variedade, feitos à mão etc.), revistas e mata-fomes. Ficou famosa mesmo pela esquina privilegiada. Está na 7th Avenue com Christopher Street, tel.: 212/242-3872.

Manolo Blahnik (31W 54th Street, tel.: 212/582-3007. De segunda a sexta: 10h30/18h, sábado: 10h30/ 17h30, domingo: 12h/17h. Cc: A, M, V): os sapatos do designer espanhol viraram febre desde que Carrie passou a se endividar pra turbinar sua coleção de "Manolos". (A paixão acomete também a atriz Sarah Jessica Parker.) Cada par de sapatos-obra-de-arte custa de US$ 500 a US$ 10 mil.

Louis K. Meisel Gallery (SOHO, 141 Prince Street, tel.: 212/677- 1340) Charlotte, a mais casadoira do seriado, trabalhava com compra e venda de obras de arte nesta galeria do Soho. Especializada em fotorealismo e em arte vintage de pin-up, só atende com hora marcada.

Woodbury Common (498 Red Apple Court, Central Valley, tel.: 845/928- 4000; 10h/21h; Cc: todos), em Central Valley. Ali há 220 lojas de desconto de marcas como Calvin Klein, Keneth Cole e Fendi, além da única loja outlet da Chanel no estado. Para chegar, a maioria dos visitantes contrata car services. O preço varia entre US$ 50 e US$ 70 (informe-se no seu hotel). A vantagem é ter um guia à sua disposição no outlet para levar as compras até o carro. O problema é a duração da visita, seis horas - tempo que, para muita gente, não é o sufi ciente. Pode-se fazer como os nova-iorquinos: ir de ônibus. No terminal Port Authority, na 42th Street com a 8th Avenue, entre 8h15 da manhã e 2h45 da tarde, saem ônibus da empresa GrayLine que vão direto para o Woodbury (ida e volta, US$ 39). Eles voltam de lá do meio-dia às 9h da noite. Acrescente o preço do táxi para voltar do Port Authority, já que você vai estar com sacolas. No final, não sai muito mais barato do que contratar o serviço de um tour, mas ao menos você só sai de lá quando tudo fechar. Bem, se esse é o seu perfil, traga logo uma mala de rodinhas para ir colocando as sacolas dentro. E não esqueça: para ganhar os cupons de descontos, apresente seu tíquete de ônibus na torre central do outlet. Ainda dá pra esticar ao mega Wall Mart (9h/21h seg. a sex., 9h/18h sáb., 10h/16h dom.) colado, ali ao lado.

Apple Store Fifth Avenue (767 5th Avenue, tel.: 212/336-1440. Aberta 24h. Cc: A, M, V): repleta de iMacs, iPods e i-tudo, este cubo de vidro transparente e vazio, de 8 metros de altura - a loja fica no subsolo - é uma espécie de paraíso para apreciadores das criações eletrônicas de Steve Jobs. Fica na área mais movimentada da Quinta Avenida checar os seus e-mails lá em embaixo, num dos Macs expostos, é grátis.

Baccarat (625 Madison Avenue, tel.:212/826- 4100, segunda a quarta, sexta e sábado: 10h/18h, quinta: 10h/19h, domingo: 12h/17h. Cc: todos): Disneylândia do cristal, a Baccarat é adorada especialmente por noivas e suas mães. De clássicos vasos elaborados e taças de vinho a modernos bichinhos e bijuteria, ela segue deslumbrando a clientela.

Bergdorf Goodman (754 5th Avenue com 57th Street, tel.: 212/753- 7300. De segunda a sexta: 10h/20h , sábado: 10h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): a elegante loja de departamentos fica na mansão de Cornelius Vanderbilt desde 1928, época em que lançou a Miss Bergdorf, linha de roupas femininas pronta-para-vestir. Hoje, ocupa também o prédio em frente, com produtos para homens.

Ermenegildo Zegna (663 5th Avenue, tel.: 212/421-4488. De segunda a sábado: 10h/19h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): a marca lançada em 1910 em Trivero, Itália, continua vestindo homens com roupas da melhor qualidade e corte impecável. Ainda assim um negócio familiar - a quarta geração Zegna segue a tradição do fundador Ermenegildo.

F.A.O. Schwarz (767 5th Avenue, tel.: 212/644-9400. De janeiro a novembro: de segunda a quarta: 10h/19h, quinta a sábado: 10h/20h, domingo: 11h/18h; dezembro: domingo a quarta: 10h/19h, quinta a sábado: 10h/21h. Cc: todos): Frederick August Otto Schwarz e seus três irmãos fundaram a loja de brinquedos há 145 anos, na pequena cidade de Westphalia, Alemanha. Hoje seu nome é sinônimo não só desta loja que vende milhares de brinquedos vindos do mundo inteiro, mas também de sua própria grife F.A.O. A loja da Quinta Avenida fica abarrotada na época do Natal, com filas imensas e crianças à beira de um ataque de nervos. Vale ir lá, mesmo sem filhos: ali está o piano em cima do qual se pode dançar -como Tom Hanks no filme Quero Ser Grande.

M&M'S World New York (1600 Broadway Avenue, tel.: 212/295- 3850. 9h/0h. Cc: todos): sim, os chocolates M&M, aqueles redondinhos e viciantes, têm sua própria loja em Times Square. Vende de chocolates personalizados a roupas com logo e personagens da marca em versões de pelúcia.

Macy's ( 151 West 34th Street, tel.: 212/695- 4400. De segunda a sexta: 10h/21h30, sábado: 9h/22h, domingo: 11h/20h30. Cc: A, M, V): poucas lojas são tão tipicamente nova-iorquinas quanto a Macy's. Daria para passar um mês dentro da maior departament store do mundo. São nove andares com todos os tipos de mercadorias, de utensílios domésticos a roupas de grifes caras.

Niketown New York (6 E 57th Street, tel.: 212/891-6453. Segunda a sábado: 10h/20h, domingo: 11h/19h (dom.). Cc: A, M, V) Gosta de artigos Nike? Então os cinco andares desta loja dedicados à marca talvez sejam o suficiente para você.

Sak's Fifth Avenue (611 5th Avenue, tel.: 212/753- 4000. 10h/20h (seg. a sex.), 10h/19h (sáb.), 12h/19h (dom.). Cc: todos): mais uma das megalojas de departamentos nova-iorquinas. A Saks virou ponto de encontro das socialites de Manhattan - e leva a Quinta Avenida até em seu nome. A flagship da marca, claro, na Quinta Avenida, foi inaugurada em 1924. Já são mais de 54 lojas espalhadas pelos Estados Unidos, vendendo de roupas de grife a artigos de cama, mesa e banho. Em dezembro, a vitrine decorada da Saks é motivo de fila na calçada.

Takashimaya (693 5th Avenue, tel.: 212/350-0100. De segunda a sábado: 10h/19h, domingo: 12h/17h. Cc: A, M, V): a única loja da marca japonesa na cidade ocupa seis andares na Quinta Avenida, vendendo produtos de beleza, mobília vintage e acessórios de cama, mesa e banho, com muito estilo. Tem uma bela sala de chá no subsolo.

Tiffany & Co. (727 5th Avenue, tel.: 212/755-8000. De segunda a sexta: 10h/19h, sábado: 10h/18h, domingo: 12h/17h. Cc: todos): muito antes de se tornar famosa pelas cenas de Audrey Hepburn no filme Bonequinha de Luxo, a loja era sonho de consumo das moçoilas em busca do anel de noivado perfeito. Continua vendendo joias deslumbrantes nas mesmas caixinhas verde-água que se tornaram símbolo da marca.

Victoria Secret's Beauty (1328 Broadway, tel.: 212/356-8380. Segunda a sábado: 10h/21h, domingo: 11h/19h. Cc: A, M, V): no primeiro andar da loja matriz da famosa grife de lingeries fica sua butique de cosméticos. Hidratantes, batons, sombras, óleos corporais, linhas de xampus e condicionadores, tudo com nomes que apelam para a sexualidade. Para conferir as estampas das últimas nécessaires e levar tubos de cremes de presente - em promoções do tipo pague 7 e leve 10.

Virgin Megastore (1540 Broadway Street, tel.: 212/921-1020, de domingo a quinta: 9h/1h, sexta e sábado: 9h/2h. Cc: todos: a maior loja de entretenimento no mundo vende CDs, jogos eletrônicos e vídeos. Vira e mexe faz promoções com artistas que vão até lá. Entre os mais famosos que já deram as caras estão Michael Jackson e o rapper Eminem.

Allan & Suzi (416 Amsterdam Avenue, tel.: 212/724-7445. Diariamente: 12h30/19h. Cc: todos): um dos brechós favoritos da roqueira Courtney Love, tem uma das seleções mais excêntricas da cidade. Compre peças únicas para dar um "up" no guarda-roupa do dia-a-dia ou arremate um vestido de gala dos anos 50 para causar frisson no baile de carnaval.

Barney's New York (660 Madison Avenue com 61st Street, 212/826-8900. De segunda a sexta: 10h/20h, sábado: 10h/19h, domingo: 11h/18h. Cc: todos): tanto a clientela sofisticada do Upper East Side quanto a moçada "cool" de Downtown têm esta loja de departamentos em seu roteiro precioso de compras. Na vitrine figuram, reluzentes, as últimas peças das grifes mais cobiçadas, de Chanel a Azzedine Alaia. Algumas mulheres têm a sensação de estar na terra prometida diante da fartura do departamento de cosméticos e do estoque de sapatos Manolo Blahnik - sim, aqueles que Madonna já declarou serem melhor que sexo.

Bis Designer Resale (1134 Madison Avenue, tel.: 212/396-2760. De segunda a quarta: 10h/18h, quinta: 10h/19h, sexta e sábado: 10h/18h, domingo: 12h/17h. Cc: M, V): não será desta vez que você vai pagar barato por um Prada ou um Gucci. Mas, levando- se em conta o preço de peças de marcas como essas em estado "zero quilômetro", levar um ou outro item por 60% do valor original é bom negócio. O fato de serem artigos de segunda mão não precisa ser mencionado a quem elogiar o seu "look" depois.

Bloomingdale's (1000 3rd Avenue com 59th Street, tel.: 212/ 705-2000. De segunda a sexta: 10h/20h30, sábado: 10h/19h, domingo: 11h/19h. Cc: A, M, V): outra das instituições nova-iorquinas, a loja de departamentos funciona desde 1886. Tradicionalmente, a presença de grifes de alta costura em seus estoques atrai a frequência chique do Upper East Side. Mas não é só de peças de três dígitos que vive a Bloomie, como foi apelidada. É possível gastar menos e sair dali com roupas de jovens e criativos estilistas. (Na Bloomingdale?s do Soho, menor, há marcas como Miss Sixty e Ted Baker.) Há departamentos dedicados a noivas, noivos e damas-de-honra.

Blue Tree (1283 Madison Avenue, tel.: 212/369-2583. segunda a quarta e sexta a domingo: 10h/18h, quinta: 8h30/18h. Cc: todos): famosa por uma cena de topless no filme Picardias Estudantis, a atriz Phoebe Cates abandonou o cinema quando casou com o vencedor do Oscar Kevin Kline e abriu esta butique especializada em brinquedos e objetos de decoração com toque retrô. Vende desde presentinhos para a sogra até diamantes.

Eli's Manhattan (1411 3rd Avenue, tel.: 212/ 717-8100. 7h/21h. Cc: A, M, V): a versão East do Zabar's (o nome completo do fundador é Eli Zabar) vende os melhores produtos gourmet vindos dos quatro cantos do mundo. De chocolates suíços de cacau Grand Cru a frutos do mar raros.

Nicole Farhi (10 E 60th Street, tel.: 212/223-8811. Domingo e segunda: 10h/18h, terça a sábado: 10h/19h. Cc: M, V): nascida na França e consagrada no mundo fashion londrino, Farhi tem lojas espalhadas por vários países do mundo, incluindo Tailândia e Arábia Saudita. Nova York não poderia fi car de fora, e em seu showroom ela vende de peças de vestuário a cerâmicas, passando por roupas de cama e mesa e acessórios.

Off Broadway Boutique (139 W 72nd Street, tel.: 212/724-6713. De segunda a sexta: 10h30/20h, sábado: 10h30/19h, domingo: 13h/19h): a loja é especializada em roupas de design com jeito de figurino de peças da Broadway (daí o nome). Mas, nos fundos, fica uma sala (batizada Re-Runs) com roupas mais acessíveis que mantêm o clima teatral sem fazer você parecer uma Evita.

Ralph Lauren (888 Madison Avenue com 72nd Street, tel.: 212/434-8000. Segunda a quarta: 10h/19h, quinta: 10h/20h, sexta e sábado: 10h/18h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): é a sede oficial do império de Ralph Lauren. Conta com seções recheadas de produtos da Black and Purple Labels, dedicadas a vestuário infantil e peças da coleção American Luxury. Para comportar tudo isso, ocupa um quarteirão inteiro da carésima Madison Avenue. Liquidações de estação são organizadas duas vezes por ano (janeiro e julho).

Tender Buttons (143 E 62nd Street, tel.: 212/758-7004. De segunda a sexta: 10h30/18h, sábado: 10h30/17h): neste misto de loja e museu "informal" de botões, é impossível não encontrar uma peça que vá com a sua cara. O dono da loja garante que o número de botões de sua loja chega à casa dos bilhões.

Ursus Books & Prints Livraria (981 Madison Avenue, tel.: 212/772-8787. De setembro a junho: segunda a sexta: 10h/18h, sábado: 11h/17h; de julho a agosto: segunda a sexta:10h/18h. Cc: A, M, V): conhecida pela qualidade e especialmente pela raridade dos livros que mantém em estoque, a Ursus seduz os connaisseurs literários com raridades como Chronic des Temps Heroiques, repleto de litografias de Pablo Picasso. Tem o aspecto que se espera de uma boa e velha biblioteca, com sólidas estantes de madeira, sem devaneios em direção ao "cool".

Atmos (203 W 125th Street, tel.: 212/666-2242. De segunda a sábado: 11h/20h, domingo: 12h/19h. Cc: todos): é uma grife japonesa especializada em tênis modernosos que escolheu o Harlem para abrir sua primeira filial americana, há dois anos. O design dos calçados é feito em parceria com meganomes como Nike, Reebok e New Balance. Também tem linha colorida de casacos de capuz pra nenhum aspirante a rapper botar defeito.

Harlemade (174 Lenox Avenue, tel.: 212/987-2500. De segunda a sexta: 11h30h/19h, sábado: 11h/19h, domingo: 12h/18h (dom.). Cc: A, M, V): obras de arte feitas por artesãos da região, bijuterias, gravuras e cartões-postais do Harlem são o mote desta loja aberta em 2000. Tudo quase sempre divulgando a imagem de um bairro orgulhoso de suas raízes.

Montgomery (2312 7th Avenue, tel.: 212/690-2166. De segunda a sábado: 12h/19h. Cc: todos): foi uma das primeiras butiques de luxo a se instalar no bairro. O clima é de brechó chique, com peças cujo preço é negociado com a dona, caso de uma jaqueta feita de retalhos de mais cem anos. Tem lindas bijuterias.

N (114 W 116th Street, tel.: 212/961-1036. De terça a sábado: 12h/20h, domingo: 12h/18h. Cc: todos): loja descolada de acessórios e itens moderninhos de designers como Jonathan Adler e Ike Behar, além de roupas de Nicole Miller. Vende B. Oyama e outros talentos da vizinhança, à parte de nomes top, como Emanuel Ungaro.

Barnes and Noble (267 7th Avenue, Park Slope, tel.: 718/832-9066. Diariamente: 9h/23h. Cc: todos): uma das mais famosas livrarias americanas, vende também DVDs e CDs. Assume ar de biblioteca, com a clientela lendo livros e revistas nos cafés Starbucks lá dentro. Para gastar horas fica aberta até 23h.

Beacon's Closeta (220 5th Avenue, Park Slope, tel.: 718/230-1630, e 88 N 11th Street, Williamsburg, tel.: 718/486-0816. De segunda a sexta: 12h/21h, sábado e domingo: 11h/20h. Cc: todos): abelha-rainha dos brechós nova-iorquinos, por causa da vasta seleção e boa qualidade das roupas. Tem também ótimo estoque de chapéus, roupa masculina e CDs. Na entrada, "flyers" de festas pela cidade para você estrear seu guarda-roupa novo junto com o povo moderninho que freqüenta o lugar. O staff é tão rude que acaba sendo pitoresco.

Buffallo Exchange (504 Driggs Avenue, Williamsburg, tel.: 718/384-6901. De segunda a sábado: 11h/20h, domingo: 11h/19h. Cc: M, V.): brechó menos badalado que o Beacon's, por isso mesmo você tem mais chance de encontrar alguma coisa que seja a sua cara. Tem boa seleção de sapatos.

Ohio Knitting Mills (231 Smith Street, tel.: 718/596-7103. De terça a sábado: 12h/20h, Domingo: 12h/18h. Cc: D, M, V): o escultor Steven Tatar procurava retalhos de metal para suas obras de arte em Cleveland, Ohio, quando descobriu, dentro de uma fábrica abandonada, milhares de peças de lã, com estampas em ziguezague e gola olímpica, fabricadas entre 1947 e
1974. Comprou o estoque inteiro e abriu a loja no Brooklyn, que vende exclusivamente artigos vintage.

Studio 174 (174 N 11th Street, tel.: 718/218-7735. terça: 18h/21h ou hora marcada. Cc: A, M, V): os designers de joias Caroline Glemann e Michael Fitzgerald ensinam a arte e criação de peças únicas neste estúdio, também um mostruário de itens exclusivos. Maravilhas de tirar o fôlego.

The Future Perfect (115 N 6th Street, tel.: 718/599-6278. Diariamente: 12h/19h. Cc: A, M, V): loja de móveis e acessórios para casa, funciona como cooperativa de designers jovens e, em sua maioria, originários do Brooklyn. O fundador, David Alhadeff, abriu o espaço em 2003 e, aos poucos, aumentou o portfólio da loja com mercadorias de outros criadores, com muita madeira e metal. No porão funciona uma galeria de arte.

Wonk (160-A N 4th Street, tel.: 718/218- 7750. Diariamente: 12h/19h. Cc. A, M, V): produtos econômicos, com princípios multifuncionais, mas moderninhos, são a especialidade desta loja de mobília comandada por designers do bairro.

Woodley and Bunny (490 Driggs Avenue, tel.: 718/218- 6588. De segunda a sexta: 9h30/21h, sábado: 9h/20h, domingo: 11h/19h. Cc: A, M, V): mix de salão de beleza, butique e loja de cosméticos das irmãs Erin e Misha Anderson. A primeira cuida dos cabelos da clientela jovem, a outra seleciona roupas de designers como Vivienne Westwood.

Walgreens - 350 Fifth Ave. - Manhattan (Midtown South), NY10118 - tel.: 212-868-5790 - NWC of 5Th Avenue & 33Rd Street
Walgreens não é só uma fármacia. Se não tem tudo que você procura tem quase. O mais forte da farmácia é em Orlando, mas tem várias espalhadas pela cidade. Tem material para fotografia, albuns de fotos, maquiagem e alimentos, entre outros!

Lush - 529 Broadway, tel.: 212-925.2323 e 2165 Broadway, tel.: 212-787.5874

Gap - 57TH & BROADWAY - NY, 250 West 57th Street tel.: (212) 315-2250. A loja da 6 avenida é muito legal! E a Gap não tem aquela taxa que tem no fim das compras, paga-se o que der no caixa!

Tommy Hilfiger - 372 West Broadway, New York, NY 10012, tel.: 917-237-0983

Jack's 99 Cent Store- 110 W 32nd St (between Avenue Of The Americas & Penn Plz), tel.: (212) 268-9962. Uma loja bem legal, perto do Empire State, tem de tudo e por um preço bem legal!! Vale a pena uma visita.

B & H (420, 9th Avenue, tel.: 212/444-6615. Segunda a quinta: 9h/19h, sexta: 9h/14h, domingo: 10h/17h.; Cc: todos): destino imbatível para comprar eletrônicos na cidade, esta loja é controlada por judeus ortodoxos que acreditam na máxima "menos é mais". Num bloco inteiro da Nona Avenida, é uma das maiores lojas do mundo de equipamentos para filmar e fotografar. De acordo com as regras da religião, a casa fecha às sextas às 2h da tarde e durante o Shabat (o dia do descanso), aos sábados. Quem não arranha no inglês conta com a ajuda de quatro vendedores brasileiros a postos para ajudar compatriotas. Pergunte tudo antes de comprar, já que aqui os vendedores são especialistas no assunto. É também um bom lugar para S.O.S. de última hora: você pode levar seu laptop ou câmera com defeito e eles consertam. Não perca a sessão de equipamentos e aparatos profissionais para câmera e luz: muito set de filmagem é montado aqui. Quem quer eletrônicos recomendo esta loja! Fica bem próximo ao Empire State Building e ao Madison Square Gardem.

JC Penny - 901 Avenue of the Americas, Manhattan, New York. Tel.:(212) 295-6120. Essa loja estava em obras quando estive em New York, mas é uma loja bem legal! Está perto da Macy's.



Onde agitar

The Annex (125 Orchard Street, tel.: 212/673-3410. Diariamente: 20h/4h. Cc: A, M, V): a noite mais concorrida é às sextas-feiras, quando rola a superdemocrática festa Hot Pink, que mistura gays, patricinhas e a galera indie dançando ao som de disco-punk e eletro. Aos sábados, as melhores bandas do momento costumam se apresentar. Já passaram por este endereço de Lower East Side os Strokes e os Yeah Yeah Yeahs.

Bar 89 (89 Mercer Street, tel.: 212/274-0989. De domingo a quinta: 12h/1h, sexta e sábado: 12h/2h. Cc: A, M, V): é aquele bar que ficou famoso pelos seus banheiros ultracool: misturam homem e mulher e têm portas transparentes que mágica! - ficam opacas quando você as tranca. Lúdico e emocionante. Mais algum motivo para ir? Os drinques bem-feitos e a clientela de sempre do Soho, das fashionistas aos bacanas.

Pianos (158 Ludlow Street, tel.: 212/505- 3733. Diariamente: 15h/4h. Cc: A, M, V ): é um misto de bar para locais e palco para shows de bandas desconhecidas. Já valeria a pena só pela localização, no epicentro do Lower East Side. O público que freqüenta o lugar é menos estiloso que o de outras boates da região - e os drinques, talvez, menos caros. O nome vem da loja de pianos que ocupava o prédio antes de o clube abrir suas portas.

SubMercer (147 ½ Mercer Street, tel.: 212/966-6060; de quinta a sábado: 22h/4h; Cc: todos) é o clube que fica no subsolo de um dos hotéis mais transados da cidade. E para conseguir passar pelo leão-de-chácara não basta ter um rostinho bonito e roupas de grife. A coisa funciona assim: com alguma antecedência antes de ir (mas não muita porque senão você parece desesperado) escreva para o e-mail (inquiries@submercer.com) e cruze os dedos. Um jeito mais fácil (e caro) é reservar um quarto no hotel. Uma vez lá dentro (após atravessar uma porta sem identificação, um elevador, mais duas portas, uma adega de vinhos, mais uma porta...), a festa é garantida, porque apesar do sistema metido à besta de reservas, a atitude acaba aí: as pessoas até... dançam! É o favorito de celebridades que frequentam as páginas das revistas New York e Nylon falando em revistas, aliás, é o clube mais "cool" segundo a bíbilia do assunto, a Black Book.

Knitting Factory (74 Leonard Street, tel.:219-3132. Horários e preços conforme a agenda de shows, no site): em Tribeca, o Knitting Factory tem uma atmosfera sem frescuras em três andares de clube onde o forte são os shows de bandas independentes e o Hip Hop Karaoke, já uma tradição - rola uma vez por mês, misturando profissionais e amadores. Confira sempre no site antes de ir.

Blue Note (131 W 3rd Street, tel.: 212/475-8592. Cc: todos): a casa de jazz mais famosa de Manhattan não é a melhor, mas mesmo assim atrai gente de todos os lugares do mundo por causa da fama. Faz parte de uma cadeia de clubes que também tem casas no Japão, Coréia e Itália. Jante antes ou depois do show para fugir dos preços salgados do menu. Confira no site sobre horários.

Le Souk (47 Avenue B, tel.: 212/777-5454. Diarimamente: 18h/4h): Restaurante marroquino ótimo para shows de dança do ventre e para fumar um narguilé com os amigos. Promove a festa Sunday Sessions aos domingos, com house progressivo. No verão, os proprietários abrem um telhado para a galera dançar a céu aberto.

Joe's Pub (425 Lafayette Street, tel.: 212/539- 8777. Diariamente: 18h/2h. Cc: A, M, V): batizado em homenagem a Joseph Papp, fundador do Public Theater (onde fica o pub), é um misto de cabaré com balada, com atmosfera decadente-chique acentuada pelas almofadas de veludo vermelho. Lugar certo para conferir shows de gente que vai ficar famosa daqui a uns cinco anos.

Sing Sing Karaoke (81 Avenue A, 212/674-0700. 15h/3h, seg. a qui, 14h/4h, sex. e sáb, 14/2h, dom): Casa de karaokê com atmosfera asiática. É dividida em 15 cabines privadas onde você pode fazer a festa com os amigos. Os mais assanhados podem encarar a galera no bar, onde a farra é democrática e os desafi nados são os mais aplaudidos. Tem um shot de
US$ 32 que faz você se sentir a Marisa Monte e querer sempre mais.

Webster Hall (125 E 11th Street, tel.: 212/353-1600. De quinta a sábado: 22h/5h): não é a boate onde você vai desfilar as comprinhas que fez nas lojas de grife do Meatpacking District. Aqui a regra é se divertir nos quatro andares, até em concursos de biquíni. Tem "open bar" até às
23h30 e uma atmosfera de pegação. Hip hop, disco, house, latinas e hits pop gritam nas caixas. O prédio que o clube ocupa é do século 19 e servia para bailes, naquela época.

APT (419 W 13th Street, tel.: 212/414-4245. Diariamente: 19h/4h. Cc: todos): é a boate mais descolada do Meatpacking District, sem tentar pré-fabricar uma aura "cool": o APT, simplesmente, é "cool". A decoração segue o clima de um apartamento aconchegante com espaçosas poltronas e sofás. No andar de baixo, há uma pista de dança apertada, mas que recebe alguns dos melhores DJs da cena eletrônica.

Hiro Ballroom (371 W 16th Street, tel.:212/727-0212. De quarta a domingo: 22h/4h. Cc: todos): no subsolo do hotel Maritime, a decoração deste clube gigantesco segue a linha oriental. Aos domingos rola uma das festas gays mais tradicionais da cidade. Tem agenda de shows eclética e muita gente com cara de que poderia estar na capa da Vogue.

Marquee (289 10th Avenue, tel.: 646/473-
0202. Terça: 22h/4h, quarta a sábado:22h30/4h. Cc: todos): uma das boates símbolo da política ferrenha da corda de veludo (leia-se: só entra quem a hostess da porta permitir), o Marquee é um dos clubes mais antigos da região da Rua 27, no Chelsea, lotada de boates para os rapazes e moças endinheirados. A decoração com a escadaria dupla no centro, os bartenders, tudo é muito chique - mas falta alguma alma. Mesmo assim, vai pegar bem dizer pra sua amiga de compras na Daslu que você veio aqui.

Plunge (18 9th Avenue, 15º andar, tel.: 877/426-7386. Diariamente: 11h/4h): no terraço da cobertura do hotel Gansevoort, esta boate hip tem um dos melhores visuais de Nova York. O lounge interno costuma lotar: o melhor é achar um lugar para sentar no terraço e ver as moças vestidas de Marc Jacobs colorirem o pano de fundo do Rio Hud-son. Apesar do nome, que significa "mergulho", você não pode chegar perto da piscina linda, que é só para hóspedes. Os drinques são caríssimos.

Star Lounge (222 W 23rd Street, tel.: 212/255-4646. Diariamente: 11h/4h. Cc: A, M, V): boate moderninha instalada no lendário hotel Chelsea desde o ano de 2007, é tomada por uma "clientela com nome na lista" e por hip hop nas caixas. O melhor dia é terça-feira, quando o karaokê atrai celebridades. Peça o drinque The Startini para tomar coragem e cantar em alto e bom som: vodca, cointreau, licor de pêssego e suco de cranberry.

Broadway. Tudo começou no início dos anos 1900, quando os teatros foram se aglutinando na região de Times Square (esquina da Sétima Avenida com a Broadway - daí, o nome). Hoje, fazem parte da chamada Broadway os 39 maiores teatros da cidade (os que têm capacidade superior a 500 assentos, e nem todos ficam em Times Square). Sua fama é mundial. Mas discute-se nos círculos intelectuais se ali ainda é a melhor região para se assistir (bom) teatro em Nova York, numa época em que o circuito off- Broadway (teatros menores em Downtown) é muito mais empolgante (vide os sucessos recentes In The Heights e Grey Gardens, que começaram off e arrebataram a Broadway quando mudaram para a casa grande). A verdade é que boa parte das peças e musicais pode ser muito entediante, sobretudo para quem não domina o idioma. Porém, vez ou outra, a Broadway produz hits dignos de Pulitzer, como a peça August: Osage County, que veio de Chicago e estreou em Nova York já na Broadway, ou o sucesso de bilheteria e crítica, vencedor do Tony de 2007, Spring Awakening, que tem nudez e rock’n’roll. Mas, mesmo para os esnobes que torcem o nariz, a Broadway ainda é capaz de produzir estrelas, como Idina Menzel, revelada no musical Rent e alçada a categoria de diva depois de estrelar Wicked. Maiores informações aqui.

Fillmore at Irving Plaza (17 Irving Plaza, tel.: 212/777-6800): a tradicional casa de shows Irving Plaza mudou de nome mas continua atraindo artistas do calibre de Sting, U2, Bebel Gilberto e Maria Rita.

Jazz Standard (116 E 27th street, tel.: 212/576-2232. De domingo a quinta: 18h30/23h, sexta e sábado: 18h30/1h): de US$ 15 a US$ 30. Cc: todos): um dos lugares mais classudos para ouvir jazz na cidade. Fica fora do circuito das casas do Village e por isso mesmo atrai um público mais eclético e artistas menos conhecidos do grande público, porém estrelinhas dos entendidos no assunto, como os pianistas Vijay Iyer e Spencer Day. No menu, deliciosas costelas de porco.

Pacha (618 W 46th Street, tel.: 212/209-7500. Quinta: 17h/4, Sexta e sábado: 22h/6h. Cc: todos): filial da cadeia de clubes que começou em Ibiza e tem casas também em São Paulo, Buenos Aires, Londres, entre outros destinos "cool". Tem música eletrônica de qualidade capitaneada pelo Dj residente, Erick Morillo, e não há muita frescura na porta, já que o espaço lá dentro é grande: 30 mil metros quadrados espalhados em quatro andares. O preço varia entre US$ 20 e US$ 25, dependendo da atração. Consulte o site antes de ir.

Pete's Tavern (129 E 18th Street, tel.: 212/473-7676. Diairamente: 11h/23h): este bar sem compromisso com modismos clama ser o mais antigo da cidade, servindo álcool à moçada desde 1864. As paredes são cobertas com documentos da época da lei seca. Popular entre estudantes da New York University.

1020 BAR (1020 Amsterdam Avenue, tel.: 212/531-3468. Diariamente: 16h/4h. Cc: A, M, V): na região da Universidade de Colúmbia, este bar com sinuca, dardos e cerveja barata é mais autêntico do que uma final dos NY Yankees contra os Mets (times de futebol americano). Durante as férias de verão, quando a universidade esvazia, o bar perde um pouco da sua alma. Por isso, venha durante o ano letivo, de setembro a maio, para viver uma experiência only in New York.

Jazz at Lincoln Center (Broadway com 60th Street, tel.: 212/875- 5350. Cc: todos): um complexo de três casas de shows no shopping Time Warner, é o melhor lugar para ouvir jazz em Nova York atualmente. A direção artística é de Wynton Marsalis. O Allen Room e o Dizzy's Club têm vista para o Central Park e são mais intimistas. O Rose Theater é a grande atração, onde se apresentam não só músicos de jazz, mas também cantores de ópera e orquestras. A acústica é uma das melhores do mundo.

Smoke Jazz Clube and Lounge (2751 Broadway, tel.: 212/864-6662. Diariamente: 17h/2h. Cc: todos): bar de jazz discreto, mas com uma das programações mais classudas da cidade. Wynton Marsalis é habitué, assim como outros músicos renomados, atraídos pelo clima informal e sem as afetações dos clubes de jazz do Village. Ótimo para uma noite especial ou para quando simplesmente bater a vontade de ouvir bom jazz.

Suite (992 Amsterdam Avenue, tel.: 212/222-4600. Diariamente: 17h/4h. A, M, V): tem um dos karaokês mais agitados da cidade. O público predominante é GLS e latino, mas não precisa de carteirinha de sócio para entrar aqui. No Suite, todos são bem-vindos.

No Parking (4168 Broadway, tel.: 212/923-8700. De domingo a quinta: 17h/3h, sexta e sábado: 17h/4h): fica espremido entre duas garagens, daí o nome. A única opção GLS acima da Rua 110. Só que, em vez de Madonna e música eletrônica, há hip hop e salsa para atender a frequência afro e latina.

The Den (2150 5th Avenue, tel.: 212/234- 3045. Segunda e terça: 18h/24h, quarta e quinta: 18h/2h, sexta: 18h/4h, sábado: 12h/17h. Cc: todos) Bar estiloso, DEN é a sigla para Dining, Entertainment e Nightlife. Ou seja, um misto de restaurante com balada que tem ótimas noites de improviso às quartas, quando locais e forasteiros mostram seus dotes de hip hop no palco do lugar. Spike Lee é fã.

Moca Lounge (2210 Frederick Douglass Blvd., tel.: 212/665-8081. De segunda a quinta: 10h/2h, sexta e sábado: 10h/4h, domingo: 10h/24h, dom. Cc: todos) Das mais agitadas do Harlem, com clima de pegação e de clube da Rua 27 (leia-se "patricinhas e afins"). Há sofás e quadros legais nas paredes de tijolos aparentes. Vá de drinque Multiple Orgasm, uma mistura de Grand Marnier, ginger ale e suco de cranberry.

Apollo Theater (253 W 125th Street, tel.: 212/531-5305. Bilheteria: segunda, terça, quinta e sexta: 10h/18th, quarta: 10h/20h, sábado: 12h/18h. Cc: todos) O teatro que lançou gente como Aretha Franklin, Michael Jackson e Ella Fitzgerald ainda tem lendários shows e noites de amadores (sempre às quartas).

Alligator Lounge (600 Metropolitan Avenue, Williamsburg, tel.: 718/599-4440. De segunda a sexta: 15h/4h, sábado e domingo: 13h/4h): o público talvez seja jovem demais para o seu gosto, mas com certeza sabe manter a temperatura alta. Talvez a culpa seja do forno a lenha de onde saem pizzas de massa fina. A decoração segue uma linha Carmem Mirandapsicodélica que torna tudo ainda mais divertido. Fuja dos drinques meio aguados e prefira a ótima seleção de cervejas.

Brooklyn Brewery (79 N 11th Street, tel.: 718/486-7422; sexta: 18h/23h, sábado: 12h/18h; Cc: A, M, V): instalou-se em Williamsburg em 1996. Mas a verdade é que o clima descontraído da cervejinha gelada com os amigos tem tudo a ver com o bairro, disparado, o mais ?cool? da cidade. O QG oficial da turma é essa cervejaria, onde os mais animadinhos podem fazer um tour, grátis, pelo estabelecimento, todos os sábados, de hora em hora, entre 13h e 16h. Detalhe: ela realmente só abre nas noites de sexta e tardes de sábado.

Radegast Hall & Biergarten (113 N 3rd Street, tel.: 718/963-3973; segunda a quinta: 17h/3h, sexta e sábado: 15h/4h, 15h/3h dom.; Cc: todos): é especializada em cervejas austríacas, servidas com casca de limão e tira-gostos como linguiça direto do grill e batata-doce frita. Mais séria e respeitada por quem realmente entende do assunto.

Bembe (81 S 6th Street, Williamsburg, 718/387-5389. De segunda a quinta: 19h30/4h, sexta a domingo: 19h/4h): o ambiente é meio favela-chique, meio artificial, com ripas à la barraco e redes surradas, mas o clima despojado de quem freqüenta o local é autêntico. Drinques são servidos dentro de melancias, e o público de várias etnias lota as noites de sexta e sábado para dançar ritmos latinos, reggae e soul. Alguns barmen são brasileiros: logo, eles têm caipirinhas caprichadas feitas com cachaça 51.

Union Pool (484 Union Avenue, tel.: 718/609- 0484. Diariamente: 17h/4h. Cc: todos): bom lugar para paquerar e tirar fotos em preto e branco numa das últimas cabines de retratos da cidade. A trilha sonora vai de rock indie a clássicos dos anos 50 e jazz. A atmosfera é de um filme europeu "cabeça", mas o ótimo pátio ao ar livre faz você se sentir numa casa de verão nos Hamptons.

Spuyten Duyvil (359 Metropolitan Avenue, tel.: 718-963-4140; de domingo a quinta:
17h/2h, sexta e sábado: 17h/4h; Cc: M, V): ganha no quesito variedade. O destaque são as marcas belgas. Mas também há opções obscuras como a italiana Le Baladin Nora, baseada numa receita do Egito antigo.

Studio B (259 Banker Street, Greenpoint, tel.: 718/389- 1880. Diariamente: 22h/4h. Cc: todos): a atmosfera lembra a dos clubes que movimentaram a cena eletrônica dos anos 80 por causa do gigantesco cenário industrial, com direito a gelo seco e sistema de som "diabólico". Uma das estrelas da casa é a DJ Justine D, que também comanda a festa Motherfucker, uma das mais badaladas da cidade.

Stonewall Inn (53 Christopher Street, tel.: 212/463-0950; diariamente:16h/4h): marco gay do West Village.

Gerry's (110 8th Avenue, tel.: 212/243-9141; de segunda a sábado:11h/20h, domingo: 12h/18h; Cc: todos): point LGBT.

Barracuda (275 W 22nd Street, tel.: 212/645-8613; diariamente: 16h/4h): um dos clubes mais disputados pelos rapazes.

The Cock (29 2nd Avenue, tel.: 212/777-6254; diariamente: 16h/4h) Circuito LGBT.

Eastern Bloc (505 E 6th Street, 212/777-2555, easternblocnyc.com; 19h/4h) Circuito LGBT.

Henrietta Hudson (438 Hudson Street, tel.: 212/924-3347; diariamente: 16h/4h; Cc: A, M, V) Point LGBT para as meninas.

Cubby Hole (281 W 12th Street, tel.: 212/243-9041; diariamente: 16h/4h) Point LGBT para as meninas.

Therapy (348 W 52nd Street, tel.: 212/397-1700; diariamente: 17h/2h; Cc: A, M, V) Lounge.

Metropolitan (559 Lorimer Street, tel.: 718/599-4444; diariamente: 16h/4h) Pré-balada no Brooklyn.

Sugarland (221 N 9th Street, tel.: 718/599-4044; diariamente: 20h/4h) Pré-balada no Brooklyn.

New York - o que você realmente precisa saber

DDI: (1) 212

Informações turísticas:
http://www.nycvisit.com/

Consulado brasileiro em Nova York: 1185, Avenue of the Americas, 21st floor; tel.: (1-917) 777-7793, www.brazilny.org

Fuso horário local: -2h

Melhor época para viajar: costuma nevar no inverno, mas a cidade fica charmosa e mais barata. O outono e a primavera têm temperaturas amenas e agradáveis. Já no verão a temperatura chega a 40ºC. Em julho tudo fica mais caro

Chamadas a cobrar para o Brasil: 1-800-3441055 (Embratel) ou 1-866-3551515 (Telefônica).

Dica de transporte: use metrô ou pegue um táxi. Para as distâncias curtas, caminhe e descubra os segredos da cidade.


Referências sobre New York (parte 1, 2 e 3): Vamos para New York, Viage na Viagem, Revista Viagem e turismo na internet, Site oficial de Nova York, site viagem.decaonline, site Cassino Billionaire, Concierge.com, todos os sites oficias. Todas informações foram devidamente checadas nos sites oficiais dos lugares. Podem sofrer alterações em aviso prévio.

  1. O booking.com realmente é um site sensacional de reservas de hotéis; já fiz cinco viagens para a Europa e em todas elas fiz as reservas pelo booking.com e não deu nenhuma "zebra". O site informa o conceito médio de notas dadas pelos viajantes que utilizaram os hotéis por ele indicados e nele reservados, bem como mostra as fotografias, localização e distância dos principais pontos turísticos. Mas a grande vantagem desse site é que ele permite fazer a reserva e cancelá-la (se for o caso) sem qualquer adiantamento, ou seja, você só paga alguma quando chegar no hotel ou se não cancelar com no máximo dois de antecedência à sua chegada. RECOMENDO AOS VIAJANTES.

    ResponderExcluir
  2. Eu também só recomendo o Booking.com. Todos os lugares os quais eu viajo tanto Brasil como Europa só uso ele, nunca tive qualquer problema. Inclusive agora em Foz de Iguaçu por ter feito reserva com Booking tivemos direito a internet gratuita, caso eu tivesse feito a reserva com o proprio hotel eu teria que pagar a internet. Na Holanda eu fiz até reserva com transfer e Foz tb.Agora já fiz para NY em 24 de abr. Sem contar que os preços deles são realmente bem mais em conta.

    ResponderExcluir

Start typing and press Enter to search