6 de fev de 2010

Diga NÃO a falsificação e a pirataria

Acho que o blog, além de dicas de viagens, lugares e restaurantes, acredito que informações diverdas devem ser postadas. Essa ainda mais, depois de ter ouvido duas pessoas me disserem que os produtos falsificados NÃO são falsificados na China. Tudo bem, não é tudo falsificado e piratiado por lá, mas que a grande maioria é. Fui procurar sobre o assunto e confirmei minha teoria.

Muita gente se encanta com as bolsas Louis Vitton (que são lindas) e acham que não estão fazendo mal algum em comprar as bolsas falsificadas em Chinatown, nas ruas de Veneza ou lugares distantes de Pequin - sim até lá os produtos falsificados não estão mais tão a mostra como em alguns anos atrás. Você acha que é simples e barato fabricar uma bolsa, um cinto, um tênis ou qualquer outro produto de luxo. Gasta muitto dinheiro para isto. Ter uma bolsa Hèrmes, mas falsificada, como diz uma amiga, é coisa de "pobre" (alma pobre), nem de couro estes produtos são. Quanto é uma bolsa dessas? Entre R$ 200 - R$ 400,00 (sim, foram os preços médios que vi no verão de 2009 na praia de Capão da Canoa e tem umas em Torres por essa média de preço também - aqui no Sul, não sei valores da 25 de Março em São Paulo e não sei se lá estão vendendo estes produtos). Lembre-se, estes produtos NÃO são em couro e sim de material sintético. Por que então, não comprar bolsas em couro, lindas como da Datelli ou Jorge Bischoff? Só para dizer que você tem uma bolsa Hèrmes, Fendi, Gucci ou Louis Vitton, porém falsificadas? Para mostrar as amigas que você tem estas bolsas? Dá para ver pelo estilo da pessoa se a bolsa (tênis, cinto ou qualquer outro produto) é falsificada ou não. Imagine se você desenvolve um produto - seja ele qual for. Você contrata pessoal especializado, gasta com máquinas, matéria prima, funcionários, impostos, telefone, água, luz, divulgação entre outros. Vai eu, compro um produto seu, levo para algum lugar e falsifico e vendo por menos da metade do seu preço. Você iria gostar? Acho que não!

Veja alguns trechos que retirei sobre falsificação:

Este é do Augusto Cruz, do
IBahia.com, no Direito do consumidor:

"Você sabia que bolsas falsificadas são fabricadas em presídios na China por ordem do Exército (Governo) chinês?

Você sabia que no ano de 2003 morreram 162 mil pessoas na China por conta de remédios falsificados?

Você sabia que o terrorista responsável pelo primeiro atentado ao World Trade Center capitalizou-se por meio da venda de produtos falsificados?

Você sabia que os terroristas envolvidos no atentado de Madri se remuneravam pela venda de cds piratas?"

O trecho abaixo é do
Guilherme Mattos Abrantes, o arquivo está em PDF:

"Atualmente, cerca de 90% dos produtos contrafeitos (contrafeitos significa falsifivados) que entram no Brasil são provenientes da China ou de seus satélites Taiwan e Hong Kong. Sabe-se que a China possui uma força fabril gigantesca. Inúmeros produtos originais são fabricados naquele país, devido ao baixíssimo custo de produção."

Outro trecho, que se refere a União Européia:

"Mais de metade dos produtos falsos apreendidos na UE têm origem na China

A China é o país de origem de 54 por cento das falsificações interceptadas este ano à entrada da União Europeia (UE), garantiu ontem em Pequim o comissário europeu para a Fiscalidade e União Aduaneira, Laszlo Kovacs. "Números que a China não confirma, mas também não desmente", acrescentou o responsável europeu, que falava numa conferência de imprensa após um encontro com a vice-primeira-ministra Wu Yi. Apesar de ainda não haver "um número final", há uma diminuição face a 2004, ano em que a percentagem de falsificações oriundas da China foi de 67 por cento. De acordo com os números adiantados pelo comissário, cerca de 69 milhões dos cerca de 103 milhões de produtos falsificados interceptados nas fronteiras externas da UE em 2004 tinham origem na China."

O trecho foi retirado
desta reportagem, acesse para ler na integra!

Finalizo com o trecho do site do
Ministério das relações exteriores, não seria possível eles mentirem sobre isto (veja bem, não estou falando da atual politica do país, o assunto aqui é falsificação!)

"De cada quatro produtos falsificados vendidos no mercado brasileiro, três são fabricados na Ásia, principalmente na China. A avaliação é do Ministério da Justiça, que admite que o Conselho Nacional contra a Pirataria poderá desenvolver nos próximos meses uma estratégia para abrir um diálogo com os países asiáticos de onde saem os produtos falsificados que entram no País. No Itamaraty, porém, diplomatas reconhecem que o Brasil não conta com uma política para tratar desse tema com a China."

Não trabalho para nenhuma das marcadas citadas e nenhuma outra, mas meu apelo é: NÃO compre produtos falsificados e/ou piratiados. É CRIME! Hoje em paises como a Itália, se você é pego comprando estes produtos por um policial, você paga uma multa de 500 Euros. Se você não pode compra-las, compre algo dentro de seu orçamento. Você não vai ser mais ou menos importante por estar com uma bolsa FALSIFICADA! Acho que a melhor maneira para isto é não comprar, só assim irão parar de fabricar estes produtos. Sei que isto é muito dificil, mas quem sabe um dia isto não acontece?

Acesse o site - http://www.naocompredachina.org

0 comentários:

Deixe seu comentário: