3 de fev de 2010

Conheça oito pontos turísticos antes que desapareçam

1 - Grande Barreira de Corais (Austrália)

A elevação da temperatura do oceano está causando sérios danos ao maior recife de corais do mundo. O aumento registrado vem fazendo com que os corais liberem suas algas simbióticas responsáveis pela coloração esverdeada e azulada da barreira. Com isso, ocorre o branqueamento das colônias e consequentemente a morte do principal habitat da biodiversidade marinha mundial.

2 - Alpes

Um dos destinos mais chiques e procurados para a prática de esqui, os Alpes veem cada vez mais suas montanhas cobertas de terra ao invés de neve. Na França, a neve no Mont Blanc diminui quatro metros por ano e, nos morros austríacos os picos nevados estão mais curtos, as avalanches e quedas de encostas mais comuns. Para piorar, as precipitações tenderão a ser mais frequentes em forma de chuva e secas no verão estão previstas.

3 - Ilhas Maldivas

A situação é tão crítica que já estão previstas até compras de novas terras que possam abrigar a nação-arquipélago. As Ilhas Maldivas, um santuário do turismo de praia, estão encolhendo e temem estar em poucos anos debaixo d’água. O ponto mais alto do país está a apenas 2,4 metros do mar e, por isso, existe a preocupação. Estima-se que a elevação de alguns poucos centímetros do oceano já podem ser suficientes para afundar alguma das cerca de 1.200 ilhas do arquipélago.

4 - Tuvalu

Tuvalu entra no conjunto dos países tropicais e paradisíacos do Pacífico, mas também no das nações mais propícias a sofrer os efeitos do aquecimento global. Alguns moradores de vilas já estão sendo obrigados a fugir para a Nova Zelândia em decorrência da elevação do nível dos oceanos. Segundo os mais pessimistas, a tendência é que em 50 anos o país esteja praticamente todo debaixo d’água.

5 - Napa Valley, Califórnia (EUA)

Uma das principais áreas de vinhos do mundo e de turismo do estado da Califórnia, a região de Napa Valley vê seu mais precioso bem ameaçado: a uva. O motivo é que as perfeitas condições atuais de temperatura e minerais estão comprometidas pelo constante aumento do calor. Há quem diga que a produção das frutas levará até 40 anos para ficar completamente perdida.

6 - Veneza (Itália)

Uma das cidades mais românticas do mundo está encarando a perspectiva da água tomar aos poucos conta de quase tudo. Desde 1900, Veneza já está 13 centímetros mais submersa e as inundações de lugares públicas como Piazza San Marco são mais constantes. Além disso, com a água entrando pelas casas, as paredes e tubulações das belas construções ficam danificadas.

7 - Geleira de Chacaltaya (Bolívia)

Antigamente era um ponto de esqui importante do continente sul-americano. Hoje, a Geleira, onde o topo fica a mais de 6.200 metros de altura, vê apenas 2% da sua cobertura natural de neve ainda contornando o local. Muito provavelemente já em 2010 Chacaltaya fique sem neve, apenas rochas.

8 - Monte Kilimanjaro (Tanzânia)

O ponto mais alto do continente africano, que ficou famoso por sua neve eterna mesmo estando em plena savana africana, está com seus dias contados. Com apenas 20% da neve original, o Kilimanjaro já não tem mais a mesma altura e deve ficar sem neve na década de 2020. Para se ter uma ideia, os cumes Sul e Norte sofreram redução de 5,1 e 1,9 metros, respectivamente.
Fonte: Terra

0 comentários:

Deixe seu comentário: